Seca: Ministros da Agricultura da UE debatem na 2.ª feira situação em Portugal e Espanha



Os ministros da Agricultura da União Europeia (UE) reúnem-se na segunda-feira, num conselho em que a situação de seca em Portugal e Espanha e possíveis ajudas, no âmbito da Política Agrícola Comum (PAC), serão debatidas.

O tema da seca foi introduzido na agenda da reunião formal do conselho de ministros da Agricultura da UE, depois de ter já sido abordado informalmente com o comissário europeu da Agricultura, Janusz Wojciechowski, em 07 de fevereiro.

Num debate, na quinta-feira, no Parlamento Europeu, o executivo comunitário indicou estar em contacto com as autoridades nacionais e regionais portuguesas para analisar possíveis apoios, no quadro da PAC, para fazer face à seca.

Manifestando preocupação com “a grave situação de seca sofrida na Península Ibérica e, em particular, com a situação que atualmente enfrentam algumas zonas do norte e centro de Portugal”, a comissária Helena Dali, que representou o executivo comunitário no debate, sublinhou por diversas vezes que é necessário desenvolver políticas a médio e longo prazo, pois “as alterações climáticas irão aumentar ainda mais a escassez de água e os riscos de seca”.

A comissária adiantou ainda que Bruxelas “sempre demonstrou flexibilidade relativamente ao adiantamento de pagamentos” em situações extremas imprevistas, lembrando que “existe também a possibilidade de utilização do Fundo de Solidariedade da UE para aliviar a situação de seca em Portugal e Espanha”.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), em janeiro “verificou-se um agravamento muito significativo da situação de seca meteorológica, com um aumento da área e da intensidade, estando no final do mês todo o território em seca, com 1% em seca fraca, 54% em seca moderada, 34% em seca severa e 11% em seca extrema”.

Ainda de acordo com o IPMA, em relação à precipitação, janeiro de 2022 foi o 6.º mais seco desde 1931 e o 2.º mais seco desde 2000.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.