Sexagenária moçambicana vence prémio da Fundação Bill & Melinda Gates

Margarida Matsinhe, 64 anos, ganhou o Gates Vaccine Innovation Award 2013 pelo seu trabalho no desenvolvimento do sistema da vacinação no seu país, Moçambique. O prémio distingue “formas revolucionárias” de imunizar as crianças mais pobres do mundo. O prémio é atribuído pela Fundação Bill & Melinda Gates.

Matsinhe, que trabalha na organização sem fins lucrativos VillageReach, trabalhou na entrega de vacinas em Moçambique durante mais de 30 anos, inclusive durante a guerra civil do país e no período de reconstrução do pós-guerra. Actualmente actua no Comité de Especialistas em Imunização do governo e aconselha os líderes acerca da qualidade das vacinas e suas estratégias de distribuição.

Moçambique alcançou uma cobertura de vacinação de 95%, em parte graças ao seu trabalho. Mas Matsinhe assegura que o seu objectivo é abranger nada menos do que 100% da população.

“Eu acho que tornar as vacinas disponíveis para cada mãe e cada criança é uma obrigação do governo, é por isso que eu luto por 100% de cobertura de vacinação”, disse Margarida ao All Africa. “Alcançámos 95%, mas eu quero que todos os que nascem neste país tenham a possibilidade de ser vacinados.”

Matsinhe revelou ainda: “A qualidade de vida de uma criança que tem vacinas é muito diferente de uma que não foi vacinada – isso motiva-me”. No futuro, espera continuar a partilhar com os outros as suas ideias e experiências sobre tudo o que tem sido feito a este respeito em Moçambique.

Os nomeados à distinção da Fundação Bill & Melinda Gates são avaliados em termos de inovação e criatividade, impacto e escala. O prémio atribuído é de €185 mil (R$ 496 mil).

Margarida.Website

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...