Sondas espaciais a caminho de Vénus com mão portuguesa

As sondas espaciais europeias Solar Orbiter e BepiColombo vão passar perto de Vénus, em dois voos com apenas 33 horas de intervalo, nos dias 9 e 10 de agosto, anunciou a Agência Espacial Europeia (ESA).

Segundo a mesma Agência este voo duplo vai oferecer uma oportunidade única de estudar o ambiente de Vénus em diferentes locais ao mesmo tempo, sendo que, além disso, os locais a serem estudados não costumam ser visitados pelas sondas.do.

A sonda Solar Orbiter, fruto de uma parceria entre a ESA e a NASA, voará perto de Vénus a 9 de agosto com uma aproximação mais próxima de 7.995 km às 04:42 UTC. Ao longo da sua missão, a sonda fará diversos voos perto do planeta, sendo auxiliada pela gravidade do mesmo para que consiga mudar a sua inclinação orbital de forma a obter as melhores – e primeiras – vistas dos pólos do Sol.

Por seu lado, a sonda BepiColombo, uma parceria entre a ESA e a JAXA, vai voar perto de Vénus às 13:48 UTC do dia 10 de Agosto a uma altitude de apenas 550 km. A BepiColombo está a caminho do misterioso planeta mais interno do sistema solar, Mercúrio. Precisará sobrevoar a Terra, Vénus e o próprio Mercúrio, junto com o sistema de propulsão elétrica solar da sonda, para ajudar a orientar para a órbita de Mercúrio contra a imensa atração gravitacional do Sol.

Não é possível obter imagens de alta resolução de Vénus com as câmaras científicas a bordo de nenhuma das missões – a Solar Orbiter deve permanecer voltada para o Sol, e a câmara principal a bordo da BepiColombo é protegida pelo módulo de transferência que entregará os dois orbitadores planetários a Mercúrio.

No entanto, duas das três câmaras de monitorização da BepiColombo estarão a tirar fotos no momento da aproximação e nos dias seguintes, conforme o planeta desaparece de vista.

Esta missão tem também um cunho português, a sonda BepiColombo conta na sua equipa científica com a astrofísica portuguesa Joana S. Oliveira, assim como o equipamento eletrónico que monitoriza a radiação espacial durante a viagem e a operação de uma das sondas do módulo foi construído pela Efacec. Além disso, também a Deimos Engenharia, Active Space Technologies e a Critical Software estiveram envolvidas em vários componentes desta sonda.

As imagens serão descarregadas em lotes, uma a uma, com a primeira imagem a ficar disponível na noite de 10 de agosto e a maioria a 11 de agosto.

A Solar Orbiter tem adquirido dados quase constantemente desde o lançamento em fevereiro de 2020 com os seus quatro instrumentos in situ que medem o ambiente ao redor da própria sonda, indica a Agência Espacial Europeia (ESA).

Os dados coletados durante os voos também fornecerão informações úteis para o futuro orbitador de Vénus da ESA, EnVision, que foi selecionado no início deste ano e será lançado em Vénus em 2030.

Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.