Suíça: lei obriga a atordoar lagostas e crustáceos antes de serem cozinhados

Cozinhar uma lagosta ou crustáceo quando estes ainda estão vivos passou a ser proibido por lei desde ontem na Suíça. A nova legislação estabelece que, antes de serem cozinhados, os animais terão de ser atordoados, contrariando assim a barbara prática de cozinhar estes bichos ainda vivos.

Aprovada ontem pelo governo suíço, a nova lei declara que “os crustáceos vivos, incluindo a lagosta, não poderão ser transportados em gelo ou em água gelada. As espécies aquáticas devem ser mantidas no seu meio natural. A partir de agora os crustáceos devem ser atordoados antes de serem mortos.”

A nova legislação define igualmente que para atordoar os animais apenas será permitido o uso de choques eléctricos ou a destruição mecânica do cérebro da lagosta. Qualquer outro método para “anestesiar” esta espécie antes de a colocar no tacho não poderá ser considerado.

A medida surge depois de inúmeras associações de defesa animal alertarem as autoridades para as particularidades desta espécie. Vários cientistas defendem que as lagostas e os crustáceos possuem sistemas nervosos complexos, sentindo dor intensa quando cozinhados vivos.

A nova legislação engloba ainda outras medidas que visam o bem-estar animal, entre elas a proibição total do comércio ilegal de cães, a responsabilização de organizadores de eventos públicos pelo bem-estar dos animais usados e novas regras quanto ao abate de animais doentes ou feridos.

Foto: arigrumelli / flickr