A ExoXperience, uma startup Portuguesa sediada em Coimbra, desenvolveu uma tecnologia que é capaz de converter óleos alimentares usados em detergente. Esta é uma tecnologia altamente relevante, porque os óleos alimentares usados são resíduos extremamente poluentes. Apenas um litro de óleo é capaz de poluir um milhão de litros de água, razão pela qual se aconselha que os consumidores guardem num recipiente todos os tipos de óleos usados na confeção dos alimentos (restos de azeite, restos de óleo das latas de atum, etc.) em vez de os despejar na canalização – as estações de tratamento de águas residuais não são capazes de lidar com oeste tipo de resíduos, que acabam por poluir as fontes de água.

Financiamento para desenvolver novo produto

A  startup, formada em 2016 por um grupo de químicos da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, conseguiu agora um financiamento de 700 mil euros ao abrigo do programa Europeu 2020. O dinheiro será usado para desenvolver a One-N-Done, uma cápsula que converte óleos alimentares usados em diferentes tipos de detergente, como limpa-vidros, lava-chão, sabonetes, lava-loiça, entre outros.

Segundo o P3, a nova cápsula deverá chegar ao mercado em apenas dois anos, dado que a EcoXperience já tem a tecnologia necessária para transformar óleo em agentes de limpeza. A tecnologia envolve uma proteína produzida pelo pâncreas humano, que mimetiza a forma como o corpo transforma a gordura em novos componentes.

A startup pretende que esta tecnologia chegue tanto ao setor doméstico como empresarial e está sustentada na filosofia da economia circular, ou seja, uma economia cuja premissa é a da transformação dos resíduos em produtos que possam ser novamente utilizados.

 

Imagem: ExoXperience