com o apoio
em modo Escuro poderá poupar até 30% de energia. Saiba mais

Tetra Pak introduz polímeros reciclados certificados nas embalagens

A Tetra Pak acaba de anunciar que vai introduzir polímeros reciclados certificados nas suas embalagens, estando estas já disponíveis para os fabricantes. Torna-se assim a primeira empresa do setor a obter a certificação de produtos avançados da Mesa Redonda sobre Biomateriais Sustentáveis (RSB).

Alejandro Cabal, vice-presidente de Soluções de Embalagens e Operações Comerciais
da Tetra Pak, afirma: “A RSB certifica que os polímeros reciclados usados nas tampas e/ou revestimentos das embalagens de cartão da Tetra Pak são produzidos de forma sustentável. Sermos os primeiros do nosso setor a receber a certificação de produtos avançados RSB representa mais um marco na nossa viagem rumo à produção das embalagens de cartão para alimentos mais sustentáveis do mundo, embalagens compostas, na totalidade, por materiais renováveis ou reciclados, adequadas e seguras. Embalagens que permitirão um sistema alimentar totalmente reciclável e neutro em carbono”.

Esta é mais uma ação da empresa em torno da circularidade, que promove o aumento da reciclagem e a viabilidade do ponto de vista económico. No mesmo contexto, a Tetra Pak destaca-se pela redução da dependência de recursos fósseis, pelo fornecimento responsável de matérias-primas, pelo desenvolvimento de embalagens para otimizar o processo de reciclagem e reduzir o desperdício, e pela criação de parcerias para desenvolver uma infraestrutura eficiente de recolha e reciclagem em todo o mundo.

“Como signatários do compromisso global de Ellen MacArthur – New Plastics Economy, comprometemo-nos a incorporar um valor mínimo de 10% de conteúdo de plástico reciclado, em média, nas embalagens de cartão vendidas na Europa, até 2025, sujeito à disponibilidade técnica e económica de plásticos reciclados aptos para uso alimentar”, explica Alejandro Cabal.

Finaliza ainda deixando claro que “há um longo caminho a percorrer até que os polímeros reciclados e de origem vegetal possam ser convertidos na principal matéria-prima das embalagens”, contudo, “estamos a trabalhar com parceiros para explorar mais a fundo os polímeros sustentáveis, ao mesmo que continuamos a avaliar a utilização de produtos alternativos, à base de plantas e de materiais que tenham por base fibra reciclada. A nossa ambição a longo prazo é clara: queremos que todas as nossas embalagens sejam compostas por polímeros renováveis ou reciclados, pondo fim à extração de matérias-primas fósseis”, conclui.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...