The Navigator, Galp Energia e EDP distinguidas no índice de boas práticas empresariais da CDP

O relatório da CDP – Carbon Disclosure Project divulgado durante o Fórum Económico Mundial, a decorrer em Davos avaliou mais de 6.800 empresas relativamente à qualidade das suas práticas ambientais 2018. As empresas foram avaliadas numa escala de A a D-, sendo que apenas 2% das avaliadas integrara na lista A.

As organizações foram julgadas pelas ações que adotaram em três categorias: mudanças climáticas, segurança hídrica e florestas.

As empresas portuguesas The Navigator Company e Galp Energia foram distinguidas como sendo as únicas portuguesas a alcançar um lugar de destaque na lista ‘A’ das empresas que melhor combateram as alterações climáticas e asseguraram segurança hídrica.

A distribuidora de energia portuguesa é uma das 27 empresas a integrar no índice da segurança hídrica, sendo a única portuguesa do setor de energia presente na lista.

Já a EDP foi distinguida na categoria ”alterações climáticas” com nota “A-“ e também na categoria da ”segurança hídrica”, com nota “B”.

Relativamente às empresas internacionais, as que mais pontuaram em termos de mudanças climáticas foram a Microsoft e a Danone, enquanto a Gap e a Ford estão entre as melhores nas políticas de segurança de água e a Tetra Pak recebeu um A pelos esforços para enfrentar a desflorestação.

A Firmenich, a maior empresa privada de fragrâncias e sabores do mundo, e a francesa L’Oréal , foram as únicas empresas a receber um ”A” nas três categorias, alterações climáticas climáticas, desflorestação e segurança hídrica.

Os investigadores descobriram que o Índice de Líderes Globais de Mudança Climática da STOXX – que é baseado na lista A da CDP – superou o STOXX Global 1800, em 5,4% por ano, desde dezembro de 2011 a julho de 2018.

Isso “demonstra que a liderança em questões ambientais comprovadas pela Lista A é tão importante quanto um negócio bem-sucedido e lucrativo”, segundo Dexter Galvin, diretor global do CDP.

Ele acrescentou: “A próxima década é crucial para que haja uma transição para uma economia sustentável, e acreditamos que as empresas estão no centro dessa transição. Ao classificar as empresas, visamos não apenas destacar as melhores práticas, mas também inspirar todos os negócios a procurar mais e a agir melhor”, concluiu.