Tinha 30 anos e chamava-se Tam. Último rinoceronte-de-sumatra macho da Malásia morreu

Tam era o último rinoceronte-de-sumatra macho da Malásia, capturado em 2008, e viveu desde então numa reserva natural. A sua espécie foi dada como extinta na natureza em 2015, naquele país.

Esta semana, Augustine Tuuga, diretor do departamento de vida selvagem de Sabah anunciou que o animal raro, com 30 anos de idade, foi dado como morto, sem causa de morte confirmada. Contudo reportagens anteriores sugerem que o animal sofria de problemas nos rins e no fígado, de acordo com o jornal “The Guardian”.​​​​​​​ Iman, a sua única companheira, foi capturada em 2014 e é atualmente a única sobrevivente da subespécie no país.

Especialistas de vida selvagem estimam que existem apenas entre 30 a 80 rinocerontes-de-sumatra em todo o mundo, sobretudo na Indonésia, nas ilhas de Sumatra e Bornéu.

A morte de Tam colocou pressão nos esforços dos conservacionistas que tentavam gerar crias de Iman, através da fertilização in vitro. Augustine Tuuga refere ainda que houve problemas com o útero da fêmea e que esta é incapaz de ficar grávida. No entanto, consegue produzir óvulos.

“Apenas temos que cuidar do último rinoceronte. É tudo o que podemos fazer, e tentar – se possível – trabalhar com a Indonésia”, disse Augustine Tuuga.

Artigos recomendados

Comentários estão fechados.