Ucrânia: Danos ambientais causados pela guerra ultrapassam os 35 mil milhões de euros, diz ministro do ambiente



Em sete meses de guerra na Ucrânia, a Rússia causou danos ambientais no valor de 36 mil milhões de euros, revelou esta segunda-feira o ministro ucraniano do Ambiente, Ruslan Strilets, e 2,9 milhões de hectares de reservas naturais estão ameaçadas.

No âmbito de uma audiência na comissão ambiental do Parlamento Europeu, o responsável adiantou que, desde o início do conflito, mais de dois mil casos de danos ambientais foram registados na Ucrânia. Ainda, denunciou que aproximadamente 20% das áreas protegidas no país arriscam agora a destruição.

De acordo com as estimativas de Kiev, os prejuízos causados pela poluição atmosférica derivada da guerra ascendem a 25 mil milhões de euros, sendo que outros 11,4 mil milhões são necessários para recuperar os danos sofridos pelos solos.

Strilets relatou aos eurodeputados e, Estrasburgo, em França, que o conflito já causou a emissão de cerca de 31 milhões de toneladas de dióxido de carbono, o que equivale à quantidade total produzida, por exemplo, pela Nova Zelândia durante um ano inteiro. A enegrecer este cenário, o ministro aponta que outros 79 milhões de toneladas poderão ser emitidas no decurso da reconstrução das áreas destruídas.

“A guerra da Rússia contra a Ucrânia está a acelerar as alterações climáticas e a causar o aumento das emissões de gases com efeito de estufa”, revela o Ministério da Ecologia e dos Recursos Naturais da Ucrânia, em comunicado.

Os cálculos preliminares do governo ucraniano sugerem que “devido ao aumento do consumo de produtos petrolíferos por equipamento militar, quase quatro milhões de toneladas de dióxido de carbono foram injetadas na atmosfera durante os primeiros 150 dias da invasão de larga escala”, um valor 10 vezes acima das “emissões produzidas pelo equipamento militar na Ucrânia em todo o ano de 2021”.

Depois de uma visita à região de Kharkiv, anexada pela Federação Russa na passada sexta-feira, o ministro Strilets informou que três parques naturais continuavam sob a ameaça da guerra. Nos primeiros quatro meses do conflito, as autoridades ucranianas registaram mais de 37 mil fogos, muitos começados devido aos bombardeamentos, sendo que a maioria consumiu áreas florestais.

A Ucrânia alerta também que os ataques russos têm alvejado infraestruturas hidrológicas, como barragens e outros reservatórios de água, cuja destruição terá consequências devastadoras não só na capacidade de produção elétrica das regiões afetadas, mas também ao nível da destruição de habitats naturais e de terras de cultivo, transportando ao longo de grandes distâncias substâncias tóxicas para a vida humana e não-humana.

“À medida que a Ucrânia continua a resistir à agressão russa e que quase todos os recursos financeiros são direcionados para o setor da defesa do país, a parceria do programa LIFE [um instrumento de financiamento da União Europeia para o ambiente e a ação climática] é extremamente importante para a proteção e restauro do ambiente”, sentencia Strilets.



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.