Uma bebida energética é a chave para salvar esta borboleta da extinção

Os cientistas da Universidade da Flórida criaram flores artificiais a partir de uma bebida energética, consumida por milhares de atletas em todo o mundo. para salvar a Cyclargus thomasi bethunebakeri, uma borboleta conhecida como “Miami blue”, um dos mais ameaçados insectos nos Estados Unidos.

O diretor do McGuire Center for Lepidoptera and Biodiversity do Museu de História Natural da Flórida, Jared Daniels, explicou à Agência E FE que, graças às flores feitas de Gatorade “a reprodução destes insetos em cativeiro aumentou”.

Segundo Jared Daniels, diretor do McGuire Center for Lepidoptera and Biodiversity do Museu de História Natural da Flórida, graças às flores feitas de Gatorade, a reprodução destas borboletas em cativeiro aumentou.

Na prática as flores não são mais que cotonetes impregnados na bebida, que atraem as borboletas devido à sua cor e cheiro como se fossem rosas, cravos ou narcisos.

As flores de Gatorade diminuem o tempo que os cientistas gastam para alimentar as borboletas e dão liberdade para elas se alimentarem quando estão com fome.
Assim, o stress é minimizado e, limitando o contato com os seres humanos, as borboletas vivem mais tempo e reproduzem-se mais, segundo Daniels.

Estas borboletas “Miami Blue” eram uma espécie comum no sul da Flórida na década de 1970, mas mais tarde a sua população começou a declinar e até se pensava que estavam extintas após o furacão Andrew em 1992.

Felizmente foi descoberta uma população de menos de 100 borboletas e, desde então, a ciência está a tentar salvar esta espécie, criando-as em cativeiro e libertando-as na natureza.

Desde 2008 os biólogos libertaram mais de 10.000 espécimes criados em cativeiro e tiveram níveis variados de sucesso, dependendo da localização.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...