Vai comprar um carro elétrico? Saiba o que muda na sua rotina (e na carteira)

Antes de se optar pela compra de um veículo elétrico, é essencial perceber que existem diferenças entre um e outro automóvel e que isso altera a rotina do consumidor. Porém, obter um carro 100% elétrico trás inúmeras vantagens e é igualmente uma mais valia para o ambiente. Estão ainda para começar as instalações de PCUR (Postos Carregamento Ultra Rápidos), com potência normalmente acima dos 100 kW (podem vir a chegar aos 350 kW), que apresentam algumas semelhanças como os  Superchargers da Tesla.

A Hyundai, empresa líder na área da Eco Mobilidade, destacou cinco fatores diferenciadores a ter em conta:

1. Abastecimento vs Carregamento

Os veículos elétricos podem ser carregados a partir de praticamente qualquer tomada elétrica, nomeadamente em casa. Contudo, de acordo com dados disponibilizados pela MOBI.E, já são ao todo, 50 as cidades do país que possuem postos de carregamento, dando um total de 1.250 postos de carregamento de rua. A rede pública possui três tipos de postos de carregamento: postos normais de 3,7 kW, postos semirápidos de 22 kW, e postos rápidos de 43 kW.

O carregamento através dos Postos de Carregamento Normal (PCN), embora mais benéficos para as baterias, pois ajudam a preservar a sua capacidade e bom funcionamento, demora mais tempo.

Por outro lado, os postos de carregamento rápido de 43 kW, também conhecidos como PCR, encontram-se, na sua maioria, em áreas de serviço de autoestradas, e permitem carregar até 80% da bateria em cerca de 30 minutos.

2. Autonomia

A autonomia tem vindo a aumentar com o desenvolvimento de novos modelos de veículos elétricos, e vai depender sempre do que comprar. No entanto, a regra é planear bem a utilização do automóvel de acordo com os quilómetros que pretende fazer. Caso faça, por exemplo, 300 quilómetros diariamente, terá provavelmente de carregar o carro todos os dias à noite para garantir que no dia seguinte tem autonomia suficiente para ser utilizado. Em contrapartida, se percorrer poucos quilómetros por dia, como por exemplo 20 quilómetros, uma carga poderá ser suficiente para toda a semana.

3. Manutenção 

Os veículos a combustão devem fazer uma revisão a cada 15.000 km, aproximadamente, enquanto que um carro elétrico deve fazer uma revisão a cada 50.000 km. Além disso, um veículo a combustão tem muitos mais componentes que exigem manutenção e substituição periódica que um elétrico.

4. Benefícios e incentivos fiscais para carros elétricos

Os carros a combustão são cada vez mais penalizados com aumento de impostos, ao contrário dos elétricos, que têm apoios e isenções específicas, que promovem a sua compra. O Governo português criou vários incentivos à aquisição deste tipo de veículos, como a isenção do Imposto Único de Circulação, que permite eliminar um custo que seria anual e a isenção do Imposto Sobre Veículos, que diminui o preço final de venda do veículo. Existe também um apoio monetário de 3.000€, a ser atribuído a beneficiários que se candidatem e cumpram os requisitos de elegibilidade.

5. Poupança económica

Além de poupar em combustível, poupa também em manutenção, e usufruiu de benefícios fiscais. Pode consultar a calculadora da Hyundai para simular uma poupança com um dos modelos da marca.

 

 

 

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...