Vão ser mortos 12 bisontes no Parque Nacional do Grand Canyon

Vão ser mortos 12 bisontes no North Rim, no Parque Nacional do Grand Canyon. O anúncio foi dado em comunicado por parte do Serviço Nacional de Parques dos Estados Unidos (NPS), que afirmou estar à procura de voluntários para esta “captura letal”.

As inscrições para este acontecimento já estão fechadas, mas segundo o NPS, voluntariaram-se mais de 45 mil pessoas para matar os animais. Os 12 voluntários ainda serão anunciados no fim do mês, consoante o cumprimento dos critérios, mas já se sabe como será realizada a captura. O programa terá início em setembro, e irão decorrer quatro operações com uma duração de cinco dias, nos quais os voluntários terão a ajuda da sua equipa para matar um bisonte, que será depois distribuído entre a equipa e as 11 tribos locais.

Em causa está a população de Bisontes no Parque Nacional, que tem vindo a aumentar e, segundo as autoridades, também a prejudicar os ecossistemas e os recursos naturais do mesmo. A ideia é reduzir a população atual que possui cerca de 600 animais, para menos de 200, ou seja, retirar mais de 400 bisontes do Grand Canyon.

“O controlo da fertilidade pode levar muito tempo e requer aplicações caras e repetições com frequência para atingir reduções populacionais significativas”, explica a NPS. “Por isso mesmo, as medidas de controlo de fertilidade por si só não reduziriam rapidamente a população atual de bisontes para <200 no período de 3 a 5 anos que os outros três métodos em combinação (captura ao vivo e remoção letal junto com caça legal no Arizona quando os bisontes migram para fora do parque).”

“Essa ação é necessária devido ao rápido crescimento da população de bisontes e à transição do rebanho que usa as terras do Estado e do Serviço Florestal dos EUA para residir quase exclusivamente no Grand Canyon. Os impactos do pastoreio e de pisarem a água, na vegetação, no solo e nos sítios arqueológicos, tal como na experiência do visitante e no caráter da região selvagem”, justificam.

De acordo com o Euronews, a Organização Não Governamental PETA – People for the Ethical Treatment of Animals já se veio manifestar em relação a este acontecimento.

“Este exercício hediondo de caça de troféu não fará nada para controlar o número de bisontes a longo prazo, porque tal “abate” – um eufemismo para matar – só faz com que as populações de animais se recuperem quando a perda de membros do rebanho resulta num aumento da comida. Se matar realmente reduzisse as populações de animais, métodos letais não seriam propostos ano após ano”, afirma Elisa Allen, diretora da PETA UK, ao Euronews.

“Somando-se a este fiasco cruel e sem sentido o facto de que pode ser difícil para os caçadores terem um tiro certeiro, fazendo com que os animais sofram mortes violentas, lentas e dolorosas. (…) Nunca alcançaremos a harmonia ecológica através do cano de uma arma”, sublinha.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...