ViniPortugal apresenta Referencial Nacional de Sustentabilidade



A ViniPortugal, entidade responsável pelo desenvolvimento e execução de estratégias e planos de promoção dos Vinhos de Portugal em mercados internacionais, realizou no dia 23 de Novembro, em Fátima, o Fórum Anual dos “Vinhos de Portugal”. O evento, que reuniu várias entidades do sector apresentou o balanço de performance do vinho português no mercado nacional e internacional, divulgou os Planos de Marketing e Promoção para 2023 e apresentou a grande novidade deste ano, o Referencial Nacional de Sustentabilidade. Houve ainda tempo atribuir os prémios “Distinção CNOIV” e “Inovação CNOIV” de 2022.

Após as boas-vindas do Presidente da ViniPortugal, Frederico Falcão, foi apresentado o desempenho do vinho português no mercado nacional de Portugal Continental. Segundo os dados apresentados pelo IVV (Instituto da Vinha e do Vinho), de Janeiro a Setembro de 2022, a venda de vinhos tranquilos no mercado português cresceu 12% em volume (204 milhões de litros) e cresceu 41,5% em valor (817 milhões de euros), com o preço médio a subir 26,4%, quando comparado com o mesmo período em 2021. “Estes são excelentes resultados se tivermos em conta a conjuntura económica mundial e o aumento dos custos de matéria prima e distribuição”, sublinha a ViniPortugal em comunicado.

Quanto às exportações, acrescenta a mesma fonte, Portugal bateu o recorde de 677 milhões de euros em Valor das Exportações Mundiais, quando comparado com o período homólogo de 2021 e encontra-se entre os 10 principais exportadores de vinho a nível mundial. De Janeiro a Setembro de 2022, comparando com o mesmo período de 2021, Portugal caiu 0,6% em volume de exportações (242 milhões de litros), mas cresceu 0,97% em valor, para os 677 milhões de euros, tendo o preço médio igualmente aumentado 1,57%, atingindo os 2,80€/l.

Nesta edição do “Fórum Anual dos “Vinhos de Portugal” o destaque foi para a apresentação do Referencial Nacional de Sustentabilidade, uma “resposta às crescentes exigências dos mercados internacionais, com metas abrangentes ao nível nacional, credíveis, simples, mas simultaneamente acessíveis a todas as organizações do sector vitivinícola nacional responsáveis e orientadas para a sustentabilidade, ou seja, aquelas que estão focadas na criação de valor económico, cultural, social e ambiental”, salienta o comunicado.

Segundo a mesma fonte, esta certificação será composta por 86 indicadores no total, que podem variar entre aplicáveis, não aplicáveis, indicadores KO e não KO. Para Frederico Falcão, Presidente da ViniPortugal, “este Referencial é extremamente importante para o sector, pois a certificação em sustentabilidade está a deixar de ser uma questão de posicionamento distintivo, passando a ser uma questão de acesso aos mercados. Acredito que muito em breve alguns mercados, principalmente os nórdicos, mas não só, passarão a exigir Certificação em Sustentabilidade. É por isso essencial que Portugal tenha um Referencial único, nacional, promovido pela ViniPortugal pelos vários mercados mundiais, de forma a permitir que os nossos vinhos não fiquem de fora dos vários mercados onde querem competir”.

A ViniPortugal e Entidades Certificadoras apresentaram os seus Planos de Marketing e Promoção para 2023 e houve ainda espaço para a atribuição dos Prémios “Distinção CNOIV”, nas áreas de Enologia, Nutrição e Saúde e Viticultura e do Prémio “Inovação CNOIV” 2022.

 



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.