odezhda dlya sobak mylovelypet.ru magazin odezhdy dlya sobak, kupit osheynik anti lay mozhno tut - osheynik-anti-lay

Tag Archive | "Comissão Europeia"

10 dicas para não desperdiçar alimentos


A União Europeia desperdiça todos os anos metade dos alimentos produzidos e a percentagem é ainda maior à escala mundial. A produção anual de resíduos alimentares nos 27 Estados-membros da União Europeia equivale a cerca de 179 quilos por pessoa, escreve O Meu Bem Estar.

Siga estas dicas da Comissão Europeia para evitar desperdiçar alimentos, poupar dinheiro e proteger o ambiente.

1. Planeie as suas compras

Planeie as refeições para toda a semana. Veja o que falta no frigorífico e na despensa e faça uma lista dos produtos de que realmente precisa. Quando for às compras, leve a lista e siga-a à risca. Não se deixe tentar pelas ofertas especiais nem vá às compras de estômago vazio, pois arrisca‑se a chegar a casa com produtos que não lhe faziam alta. Evite os produtos pré‑embalados: prefira a fruta e os legumes a peso, pois poderá comprar exactamente as quantidades necessárias.

2. Verifique as datas

Esteja atento ao prazo de validade dos produtos. A menção “consumir até” indica que o produto só pode ser consumido até à data indicada (por exemplo, para a carne e o peixe). A menção “consumir de preferência antes de” indica a data até à qual o produto apresenta uma qualidade óptima; estes alimentos podem  ser consumidos sem risco mesmo depois da data indicada.

3. Não perca de vista o seu orçamento

Desperdiçar alimentos equivale a perder dinheiro.

4. Mantenha o frigorífico arrumado e limpo

Verifique se as embalagens estão bem fechadas e controle a temperatura do seu frigorífico. Os alimentos devem ser conservados a uma temperatura entre 1º e 5º C para que mantenham a frescura e o sabor.

5. Conserve os alimentos

Conserve os alimentos de acordo com as instruções indicadas na embalagem.

6. Faça uma rotação dos alimentos

Quando volta das compras, arrume os produtos no frigorífico ou na despensa, colocando os mais antigos na frente das prateleiras e os que acaba de  comprar no fundo. Evitará, assim, esquecimentos e más surpresas.

7. Não encha demasiado o prato

É preferível voltar a servir‑se quando tiver terminado o que tem no prato.

8. Utilize os restos

Não deite a carne ou as batatas que sobraram de uma refeição para o lixo. Pode consumir estes restos no dia seguinte, aproveitá‑los para confeccionar outros pratos ou congelá‑los. A fruta demasiado madura pode ser utilizada para fazer batidos ou sumos. Os legumes que  perderam a frescura podem ser aproveitados para fazer sopa.

9. Congele

Se comprar um pão grande e só comer uma pequena quantidade de cada vez, divida o restante em porções e congele. Tire a quantidade necessária do congelador algumas horas antes da refeição. De igual modo, divida os pratos que preparou em porções e congele‑as para ter refeições prontas para os dias em que estiver demasiado cansado para cozinhar.

10. Renda-se à compostagem

O desperdício de alguns alimentos é inevitável. Por que não pôr no seu jardim uma caixa de compostagem para os restos? Em poucos meses terá um precioso adubo para as suas plantas. Se viver num apartamento, um sistema de compostagem para a cozinha pode ser a solução. Coloque os restos no balde de compostagem, cubra-os com uma camada de micro-organismos e deixe fermentar.

Publicado em AmbienteComments (0)

Sonae integra fórum europeu para relações entre produtor e distribuição


A Sonae é o único retalhista europeu a integrar o Fórum de Alto Nível sobre a Melhoria do Funcionamento da Cadeia de Abastecimento Alimentar (FAN), o grupo consultivo da Comissão Europeia (CE) cujo objectivo é assegurar a coerência das diferentes iniciativas dessa mesma entidade e colaborar na definição da política industrial no sector agroalimentar.

“A escolha da Sonae para integrar o Fórum de Alto Nível é um reconhecimento das nossas boas práticas e do exemplo de cooperação com a produção, uma área onde temos trabalhado activamente para promover a produção nacional e oferecer condições únicas aos nossos parceiros de negócio”, explicou em comunicado Luís Filipe Reis, Chief Corporate Center Officer (CCCO) da Sonae e representante no FAN.

A Sonae é apontada como um exemplo europeu na cooperação com a produção, nomeadamente ao nível do Clube de Produtores Continente. No âmbito deste projecto, a Sonae colabora e ajuda os empresários e empresas do sector agrícola a desenvolverem-se e a apostar na inovação. Este apoio tem permitido a várias empresas portuguesas criarem bases sólidas e expandirem os seus negócios, nomeadamente no exterior, através da exportação de produtos nacionais.

Em 2012, a Sonae reforçou a sua aposta estratégica na produção nacional, tendo o volume total de compras a produtores nacionais na área dos perecíveis aumentado em 2,1% para cerca de 700 milhões de euros. Este valor traduz um aumento do peso das compras a produtores nacionais que ascendeu a quase 80% do total das compras realizadas.

A nomeação da Sonae para o FAN acontece numa altura em que foi criado o “Código de Conduta Europeu”, que resultou de uma negociação intensa entre vários parceiros europeus, entre os quais o EuroCommerce (Associação dos Retalhistas Europeus), este com a colaboração da Sonae. O “Código de Conduta Europeu” é constituído por uma lista de princípios de boas práticas nas relações verticais da cadeia de abastecimento alimentar e um quadro de implementação desses mesmos princípios, que a Sonae subscreveu em maio do corrente ano e que assenta na autorregulação como solução de sucesso para o funcionamento da cadeia de fornecimento e distribuição.

Histórico do projecto

Em 2008, a Comissão Europeia (CE) criou o Grupo de Alto Nível sobre a Capacidade Concorrencial da Indústria Agroalimentar (GAN), que elaborou um relatório com trinta recomendações e um roteiro de iniciativas-chave com o objectivo de promover a competitividade da indústria alimentar europeia. Para além disso, na sua comunicação intitulada “Melhor funcionamento da cadeia de abastecimento alimentar na Europa”, a CE apresentou dez iniciativas políticas destinadas a corrigir as anomalias constatadas aquando do reexame do mercado único no sector alimentar e comprometeu-se a apresentar um relatório sobre a sua aplicação, com base numa discussão com as partes interessadas.

No sentido de assegurar o acompanhamento das recomendações do GAN e das iniciativas da CE, institui-se, em 2010, um novo grupo de peritos com competências alargadas, sob a forma de um Fórum de Alto Nível sobre a Melhoria do Funcionamento da Cadeia de Abastecimento Alimentar (FAN), cujo objectivo era assegurar a coerência das diferentes iniciativas da CE e assistir a mesma na elaboração da política industrial no sector agroalimentar.

O primeiro mandato do FAN terminou no final do ano passado e a Sonae, enquanto membro do EuroCommerce (associação europeia de retalhistas, membro do FAN desde o início), participou em todos os passos decisivos. Agora, iniciou-se um segundo mandato que terminará no final do ano de 2014, sendo a Sonae a única empresa de retalho do mundo a integrar a sua composição, que pretende refletir o conjunto dos intervenientes na cadeia alimentar. Entre os seus membros estão as principais associações do setor agroindustrial dos países-membros e as organizações europeias do setor.

A CE pode consultar o FAN sobre qualquer questão ligada à competitividade e ao funcionamento da cadeia de abastecimento alimentar no mercado interno, e a fim de estabelecer novas recomendações em função da evolução dessa mesma cadeia.

Publicado em EmpresasComments (0)

Comissão Europeia propõe camiões mais aerodinâmicos para poupar combustível


A Comissão Europeia (CE) propôs hoje, em Bruxelas, novas disposições mais exigentes para tornar os camiões que circulam nas estradas europeias mais seguros, limpos e eficientes no que respeita à poupança de combustível.

Apesar de representarem apenas 3% da frota europeia de veículos rodoviários, os camiões são responsáveis por 23% das emissões de gases de efeito de estufa (GEE) do transporte rodoviário (5-6% das emissões totais de GEE da União Europeia, que poderão chegar até 8% em 2020, a manter-se a política actual). Por outro lado, os camiões são ainda a causa directa de cerca de 18% dos acidentes rodoviários fatais nas estradas europeias, que vitimam cerca de 7.000 pessoas por ano.

O anterior regulamento europeu, em vigor desde 1996, limitava de forma implícita o comprimento de uma cabine de camião em 2,35 metros, não deixando espaço de manobra para frentes de cabine mais arredondadas (e por isso, mais aerodinâmicas), o que tornava os camiões pouco eficientes, mais poluentes e perigosos para a segurança rodoviária.

Desde 1996 que este facto tem dificultado a aposta da indústria em tecnologias que potenciem a eficiência de combustível e segurança. Segundo um estudo de 2012, a frente arredondada do camião pode reduzir a resistência do ar em 12% e melhorar a economia de combustível em 3 a 5%, o que permitiria poupar às empresas de transporte €1500 euros por camião e por ano, considerando os actuais preços dos combustíveis. Esta economia de combustível corresponderia a cerca de 5 Mt de emissões evitadas de CO2.

Antes de entrar em vigor, a presente proposta terá de ser adoptada pelo Parlamento Europeu e os Estados-Membros. Os novos camiões poderão surgir nas nossas estradas por volta de 2018-2020, com frentes de cabine mais aerodinâmicas, que, por permitirem ao condutor um maior campo de visão, contribuirão para uma redução do número de acidentes; um menor impacto de eventuais choques frontais com outros veículos e uma maior prevenção dos acidentes por atropelamento com peões e ciclistas.

Caso esta proposta seja adoptada, a Comissão Europeia estima poupanças em combustível na ordem dos €5000 euros; menos 7 a 10% de emissões poluentes, considerando um camião típico de longo curso que percorra 100 mil km, o que seria equivalente a 7,8 toneladas de CO2; e menos 300 a 500 peões e ciclistas envolvidos em acidentes com camiões anualmente.

Foto: Sob licença Creative Commons

Publicado em PolíticaComments (0)

Comissão Europeia abre nova vaga de 1.300 estágios remunerados


A Comissão Europeia (CE) abriu na última quinta-feira uma nova vaga de estágios remunerados, com a duração de cinco meses e que se iniciam em Março ou Outubro. Há cerca de 1.300 estágios disponíveis, de acordo com o site da CE, sendo a remuneração de €1.000/mês (R$ 2.65) – e reembolso das despesas de viagem.

“Se forem um dos candidatos seleccionados irão ter uma experiência num ambiente internacional e multicultural, o que pode ser um enriquecimento para a vossa futura carreira”, explica a Comissão Europeia.

Candidate-se neste link.

Os estágios procuram licenciados de todo o mundo – mínimo de três anos de estudo -, bons conhecimentos de inglês, francês ou alemão – uma destas línguas – e um bom conhecimento de uma segunda língua oficial da União Europeia.

A Comissão Europeia já promoveu 40 mil estágios desde 1960.

Publicado em Emprego, PortugalComments (0)

Portugal recebe €1,2 milhões para projecto no Maciço Montanhoso Oriental (Ilha da Madeira)


O Maciço Montanhoso Oriental, na Ilha da Madeira, vai receber €1,2 milhões (R$2,9 milhões) do projecto Life + Nature, revelou hoje a Comissão Europeia. Segundo explicou em comunicado a instituição, o objectivo do financiamento é “facilitar a regeneração e conservação do frágil ecossistema natural da rede Natura 2000”.

A Comissão revela ainda que o projecto irá recuperar “plantas, caracóis e comunidades de aves, em áreas selecionadas de habitats”. Estes incluem ainda várias espécies endémicas da Madeira, sendo que 13 destas estão listadas nas directivas de aves e habitats.

Apesar de tudo, Portugal foi um dos países que menos financiamento recebeu do programa Life.  Apenas a Áustria (€800 mil – R$1,9 milhões) e Malta (€1 milhão – 2,4 milhões) receberam menos. Veja a lista de todos os países e os respectivos financiamentos.

 

Áustria €800 mil

Bélgica 44,5 milhões

Bulgária 3,7 milhões

Chipre 2,3 milhões

República Checa 12,1 milhões

Dinamarca 9 milhões

Alemanha 44,5 milhões

Espanha 95,2 milhões

Finlândia 7,8 milhões

França 36,5 milhões

Grécia 13,7 milhões

Hungria 13,6 milhões

Irlanda 2,2 milhões

Itália 78,1 milhões

Letónia 2,9 milhões

Luxemburgo 19,8 milhões

Malta 1 milhão

Holanda 21,1 milhões

Polónia 39,3 milhões

Portugal 1,2 milhões

Roménia 9,7 milhões

Eslováquia 4,4 milhões

Eslovénia 6,1 milhões

Suécia 26,6 milhões

Reino Unido 20,5 milhões

Publicado em Biodiversidade, PortugalComments (0)

União Europeia lança novo projecto para ajudar 3.500 jovens a encontrar emprego. Mas há 1,2 milhões de empregos disponíveis na rede.


A CE quer melhorar o funcionamento da rede EURES – que agrupa as ofertas de emprego europeias – para dar uma maior transparência ao mercado laboral europeu e orientar as pessoas para as ofertas disponíveis.

A EURES destina-se a quem procura trabalho mas também a quem quer mudar o seu emprego. “[A EURES] facultará um acesso facilitar e em tempo real às ofertas de emprego na UE, ao mesmo tempo que disponibilizará aos empregadores listas de candidatos com as competências adequadas”, explica a CE em comunicado.

Para esta iniciativa, foram seleccionados quatro serviços de emprego da Alemanha, Espanha, Dinamarca e Itália. No site da rede EURES pode ler-se que existem 1,2 milhões de empregos disponíveis.

Os jovens entre os 18 e 30 anos vão receber informações sobre recrutamento e o respectivo apoio financeiro para a candidatura ou formação. Os candidatos poderão receber entre €200 (R$522) e €300 (R$783) euros sempre que viajarem para outro país para uma entrevista de emprego – e cerca de €900 (R$2.350) caso tenham de se mudar, para iniciar o novo contrato.

Recorde todos os artigos do Green Savers sobre a rede EURES.

As empresas até 250 trabalhadores poderão pedir apoio financeiro para pagar parte da formação dos recém-contratados. Em causa estão montantes médios entre €600 (R$1.560) e €900 (R$2.350) por novo contrato, a aplicar em programas de integração, nomeadamente cursos de línguas ou formação profissional, ou em assistência (como a procura de casa).

Numa primeira fase, este programa beneficia de €4 milhões (R$10,4 milhões). Mas são esperados dois novos reforços no futuro, para ajudar a recrutar mais 3500 jovens.

Publicado em Emprego, PortugalComments (0)

Recomendações

Blogroll