Frota chinesa interceptada em Timor-Leste por caça ilegal de tubarões

Uma operação conjunta entre a Polícia Nacional de Timor-Leste e a ONG britânica Sea Shepherd interceptou, há dias, uma frota de dez barcos pesqueiros chineses carregados com milhares de tubarões, animal protegido pelas leis locais.

Depois de procurar a frota já sinalizada durante duas semanas, o navio de patrulha da ONG “Ocean Warrior” encontrou-a a 150 km ao sul de Timor-Leste, pescando com redes de emalhar ancoradas para atingir espécies como tubarões. Segundo o comunicado da ONG, quando as redes eram recuperadas, a captura parecia ser 95% de tubarões, bem como muitos corais partidos. O cenário encontrado foi descrito pela própria organização como “um filme de terror”

A intervenção da ONG foi realizada a pedido da própria polícia, que os procurou para auxiliar na localização da frota da Hong Long Fisheries/Pingtan Marine Enterprises. Em Fevereiro deste ano, estes mesmo barcos já tinham sido apanhados a desembarcar uma grande quantidade de tubarões para o navio-mãe “Fu Yuan Yu Leng 999”, o mesmo que, em Agosto, foi interceptado no Parque Nacional de Galápagos, no Equador, com o que foi descrita como “A maior apreensão de pesca ilegal de tubarões de que há memória“. Nesse caso, o navio foi apreendido e a tripulação condenada a penas entre um a quatro anos de prisão, e multada num total de 5.9 milhões de dólares (quase cinco milhões de euros).

Toda a apreensão foi amplamente documentada pela Sea Shepard, e as provas entregues às autoridades de Timor-Leste com a esperança de que possam cancelar futuras licenças de pesca que estão a ser gravemente abusadas.

O director da Sea Shepherd Global na Ásia e responsável por esta campanha, Gary Stokes, encontrou-se com o ex-ministro e ex-presidente e Nobel da Paz, José Ramos-Horta que não hesitou em dizer que “as actividades de pesca comercial estrangeira sem escrúpulos devem ser paradas em Timor-Leste. Temos o dever de proteger os nossos recursos naturais, isto é um abuso”.

As barbatanas dos tubarões são consideradas uma iguaria na cozinha chinesa, mas a pesca para alimentar o imenso mercado chinês está, cada vez mais, a dizimar espécies ameaçadas e a impulsionar o comércio ilegal.

Foto: Jake Parker / Sea Shepherd

 

Deixar uma resposta