João Matos Fernandes: “A alteração de comportamento dos cidadãos é absolutamente essencial”

Realizou-se hoje o Galardão Bandeira Verde Eco-Freguesias XXI 2021, um evento onde foram anunciadas as freguesias galardoadas com a Bandeira Verde, reconhecidas as Eco-Famílias portuguesas e debatidas entre alguns participantes as boas práticas implementadas nas Eco-Freguesias.

O evento, de formato presencial e digital, contou com a presença no Teatro-Cine de Pombal de várias personalidades, como por exemplo, José Archer, Presidente da ABAE, Jorge Botelho, Secretário
de Estado da Descentralização e Administração Local, Francisco Teixeira, Diretor do Departamento de Comunicação e Cidadania Ambiental da Agência Portuguesa do Ambiente, e do Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes.

Este ano foram apresentadas 111 candidaturas provenientes de 46 municípios de todas as regiões do país. Pode consultar as 93 Eco-Freguesias premiadas aqui.

No encerramento da sessão, João Matos Fernandes deixou claro que é “inegável o quanto temos a ganhar se conseguirmos acertar a eficácia da equação que garante o equilíbrio entre as zonas mais e menos densamente povoadas, entre urbano e rural, entre o litoral e o interior. Nós somos um país que tem 3092 Juntas de Freguesia. Elas são quem está mais perto das pessoas, das suas preocupações, das duas aspirações. Nós sabemos bem que a vitória da sustentabilidade passa por coisas múltiplas, a escalas múltiplas também; naturalmente, em primeiro lugar, com decisões que são de um Governo e mais do que isso de um conjunto dos Governos na definição de metas à escala do próprio Planeta, mas que têm diversos níveis de atuação e de compromisso. Muitas daquelas que terão de ser as nossas conquistas no futuro próximo, nomeadamente, aquela que tem uma meta muito clara de reduzir em 55% as nossas emissões até 2030, obrigam necessariamente à alteração do comportamento do conjunto dos cidadãos”, refere.

“Essa alteração de comportamento necessita de informação, necessita de formação, necessita de desafio, de compromisso, e as Juntas de Freguesia têm aqui um papel da maior relevância para suscitar esse mesmo compromisso e essa alteração de comportamentos. É por isso que as Juntas têm aqui de facto um papel da maior importância e é muito bom, mesmo muito bom que a ABAE tenha reconhecido esta mesma importância”, acrescenta João Matos Fernandes.

“Uma parcela muito grande do ganho ambiental que nós vamos ter nos anos mais próximos e com reflexos também naturalmente na redução das emissões, tem muito a ver com os padrões da produção e de consumo. Tem muito a ver com deixar de existir desperdício alimentar, tem muito a ver com deixarmos de dizer essa frase, que é uma heresia, que é «se avaria um pequeno electrodoméstico é melhor deitar fora e comprar outro do que mandar concertar». E aqui a escala local, a escala da esquina, a escala do bairro, são absolutamente essenciais para que se criem formas de reduzir todo o tipo de desperdício, dei o exemplo do desperdício alimentar, e que se criem todas as formas possíveis com alguma imaginação, umas ligadas a negócios, outras mais ligadas a instituições de solidariedade social, outras protagonizadas em espaços das próprias Juntas, que permitam de facto reduzir em muito o desperdício, aumentar muito a eficiência material, contribuir para a partilha, contribuir para que de facto nós sejamos cada vez mais utilizadores dos bens e cada vez menos consumidores desses mesmos bens”, sublinha.

O Ministro conclui referindo que este galardão é “uma forma muito importante e muito interessante de levar, em primeiro lugar, a notícia a toda a gente, para levar, em segundo lugar, a formação e informação para que tenhamos comportamentos diferentes, e sobretudo para suscitar um compromisso em prol de um mundo, de um Planeta, de um bairro, de uma Freguesia, de uma cidade, mais sustentáveis todas elas, para as quais, repito, a alteração de comportamento dos cidadãos é absolutamente essencial.”

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...