Royal Canin compromete-se a alcançar a neutralidade carbónica até 2025

A Royal Canin, especialista na nutrição animal, anuncia o seu mais recente compromisso de atingir a neutralidade carbónica até 2025. A mudança surge no seguimento da nova meta da Mars, Incorporated – grupo a que pertence a marca -, que pretende eliminar a emissão de gases com efeito de estufa em toda a sua cadeia de distribuição até 2050.

A empresa multinacional utilizará como base para a definição da suas metas em neutralidade carbónica a norma PAS 2060, e compromete-se a partilhar de forma transparente e regular todo o processo. Para alcançar este feito, a Royal Canin vai focar-se em quatro áreas de ação:

Transição para energias renováveis: A transição para fontes de energia renováveis está em curso na empresa há já duas décadas e, atualmente, 72% da energia da marca provém de fontes renováveis. A ambição é atingir 100% de energias renováveis também nas fábricas e escritórios, reduzindo ao mesmo tempo o consumo de energia em geral.

Utilização de ingredientes sustentáveis: Três quartos da pegada carbónica da Royal Canin provém das cadeias de fornecimento dos ingredientes. Por conseguinte, a marca procurará reduzir as emissões de Gases com Efeito de Estufa (GEE) através da reformulação dos seus produtos, optando por ingredientes com menor impacto carbónico – sem comprometer a qualidade ou a segurança do alimento. Por exemplo, o abastecimento de soja da Royal Canin para as fábricas europeias já é 100% certificado pela ProTerra – uma norma independente que promove práticas agrícolas sustentáveis e contribui para travar a desflorestação. Além disso, a marca está também a trabalhar com as cadeias de abastecimento de arroz, trigo e aves para conseguir identificar, apoiar e ativar práticas agrícolas regenerativas e impedir a desflorestação. Os principais fornecedores serão convidados a juntarem-se à iniciativa Pledge for Planet da Mars Incorporated, que identifica a pegada ecológica dos vários intervenientes e apoia no estabelecimento de metas sustentáveis com base científica, bem como na implementação de medidas concretas.

Redução do desperdício e aumento da economia circular: A empresa pretende aumentar significativamente o potencial para reciclar e reutilizar as suas embalagens, bem como de as incluir em processos de compostagem. Até 2022, será introduzida uma embalagem de plástico mono-material totalmente reciclável. Além disso, a marca conseguirá reduzir a pegada durante o processo de embalamento ao integrar conteúdo reciclado nas embalagens, mas também ao reduzir a quantidade de material utilizado em cada embalagem.

Transformação empresarial que respeita o ambiente: Vai integrar práticas sustentáveis na gestão da empresa, nomeadamente:

  1. Os salários e remunerações dos cargos de Senior Executive estarão relacionados com ações climáticas e cortes nas emissões de GEE;
  2. Será fixado um custo interno para as emissões de carbono, por forma a gerar recursos e impulsionar ações para reduzir as emissões;
  3. Entra em prática uma metodologia com base científica que permite a Royal Canin medir a pegada de carbono dos seus produtos em todo o mundo, permitindo uma tomada de decisão inteligente em matéria de formulação e de escolha de ingredientes, matérias-primas e gestão de logística;
  4. A implementação de um Programa Go Green irá sensibilizar e educar para a Sustentabilidade em 100% dos escritórios até ao final de 2025;
  5. Será garantida a criação de um ambiente de trabalho onde a inovação e a colaboração interna e externa sejam significativamente mobilizadas para impulsionar a criatividade na resposta ao desafio climático.

Por todas as emissões carbónicas que a Royal Canin não consiga remover ou reduzir completamente, a marca investirá em Créditos de Carbono de alta qualidade e com Redução Certificada. A utilização destes Créditos está alinhada com os critérios SBTi (Science Based Targets) Net Zero Foundations.

No próximo ano de 2022, a multinacional pretende ainda lançar uma gama de produtos certificada em Carbono Neutro.

Loic Moutault, Presidente da Royal Canin, afirma: “Como especialistas em nutrição de gatos e cães, temos sido guiados pela ciência durante os últimos cinquenta anos. São as iniciativas com base científica e ações decisivas e estruturais – e não apenas a ambição – que nos ajudarão a atingir o nosso objetivo climático até 2025. Acreditamos que este compromisso para a neutralidade carbónica vai inspirar e mobilizar ideias novas e impactantes, bem como mais ações e resultados em toda a cadeia Royal Canin. Toda esta envolvência ajudará a melhorar a pegada ambiental e a contribuir para uma mudança positiva na vida dos animais de estimação, das pessoas e do planeta”.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.