6 fontes de proteína vegetal para alimentar o mundo no futuro



O futuro da cadeia alimentar depende da eficiência, e isso significa escolher cuidadosamente as culturas com base na terra, água e outros recursos disponíveis.

Os tipos de alimentos cultivados ao longo dos séculos mudaram significativamente. Olhar frequentemente para trás no tempo pode também ajudar-nos a prever o sucesso a este nível no futuro. Tendo em conta as plantas tradicionais e considerando novas opções, podemos reavaliar quais as culturas em que investimos para garantir a maior probabilidade de sucesso alimentar no futuro.

Assim, o site “Inhabitat” deixa seis opções de alimentos de proteína vegetal para o futuro:

Feijão-frade

Antecipar as necessidades de uma população confrontada com terrenos agrícolas limitados e alterações climáticas significa olhar para áreas do mundo já confrontadas com climas diversos. As culturas que se dão bem no calor da África, por exemplo, podem ser uma escolha de qualidade para investir mais a norte.

O feijão-frade é um excelente exemplo. Cultivado em pequenas explorações em toda a África ocidental e América do Sul, o feijão-frade é tolerante à seca. Uma vez estabelecidas, as sementes necessitam de muito pouca água para crescer. A planta inteira também é comestível, embora historicamente os seres humanos tenham consumido principalmente as sementes ou feijões.

É uma cultura que também se poderia dar bem na América do Norte, uma vez que procuramos opções para substituir o trigo e o milho omnipresentes e consumidores de água. De facto, há 80 anos, o feijão-frade era uma cultura comum nos EUA, embora fosse mais utilizado como ração animal do que como alimento humano.

Chia

Estas plantas crescem bem em climas quentes e secos, mas fornecem uma nutrição elevada como sementes, farinha ou óleo.

As sementes tornam-se gelatinosas quando misturadas com líquido, tornando-as uma mais-valia saudável para os smoothies ou como uma substância cerealífera. Os rebentos de Chia também podem ser adicionados a saladas e sanduíches como um vegetal fresco. Uma vez estabelecida, a chia espalha-se rapidamente, tornando-se, por vezes, invasiva no jardim do quintal. Quando se tenta alimentar toda uma população, esta característica pode ser exatamente o que precisamos.

Amaranto

Tudo na planta de amaranto é comestível, o que o torna uma das melhores opções. Os povos antigos da África e Ásia há muito que confiam no amaranto como um vegetal de base. Os nativos americanos também têm uma longa história com estas sementes, que podem ser preparadas como um grão semelhante à quinoa.

Além de ser uma fonte versátil para refogar e tostar, o amaranto é uma fonte completa de proteínas.

Fonio

O Fonio é mais um exemplo de uma cultura que prospera em condições adversas. Amplamente cultivado na África Ocidental há gerações, o fonio é uma das culturas mais antigas que sabe crescer na região. É mencionada como um alimento cerimonial que remonta a milhares de anos. Atualmente, oferece colheita mesmo quando confrontada com a seca e a má qualidade do solo. Também é  livre de glúten.

Pêra de cacto sem espinho

Está em curso uma investigação para aprofundar o potencial da pêra de cacto como uma planta viável em áreas fora da sua região de origem. Entretanto, um estudo mostrou que o cacto é tão eficaz como o milho e a cana de açúcar como uma cultura bioenergética. No entanto, pode tolerar temperaturas de crescimento mais elevadas e utiliza três a seis vezes menos água para crescer.

Os seres humanos podem ingerir a planta em bruto ou podem utilizá-la para uso posterior. A pêra de cacto é também uma fonte alimentar para o gado devido ao seu elevado teor de água. Investigadores estão a identificar os genes da pêra de cacto que lhe permitem adaptar-se às altas temperaturas enquanto conserva a humidade, com a finalidade de aumentar a tolerância à seca em outros tipos de plantas.

Taro

É colhido e cozinhado de forma semelhante a uma batata. O taro é uma cultura tropical, mas com alguns investigadores pensam que poderia ser cultivado de forma fiável em regiões mais amenas dos EUA. Com a sua longa história, o taro tem raízes profundas em muitas culturas, fornecendo uma série de opções de cozedura úteis que resistiram ao teste do tempo.

Cultura geneticamente modificada

O futuro da alimentação depende da ação no imediato. A identificação das culturas que são opções promissoras para a alimentação do mundo é um passo importante. A Cultura geneticamente modificada irá provavelmente desempenhar também um papel fundamental.

 



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.