8 dicas para receber (bem) um animal de estimação

A chegada de um novo elemento a casa – devidamente ponderada –, implica alguns cuidados. Dê as boas-vindas ao seu bichano!  

1. Compromisso

Um animal de estimação não é um objecto nem um capricho. Antes de adoptar um novo amigo – cão, gato, pássaro, coelho, hamster… – certifique-se de que tem disponibilidade para acolhê-lo e condições financeiras para cuidar dele.

2. Partilha

Tomada a decisão e escolhida a espécie a adoptar, envolva a família. Quanto mais entusiasmada estiver, mais calorosa será a recepção. Se tiver crianças, estimule-as a cuidar do animal, atribuindo-lhes responsabilidades adequadas à idade.

3. Kit boas-vindas

Adquira alguns acessórios essenciais, de acordo com a espécie escolhida: cama, comedouro e bebedouro, coleira, trela, gaiola, caixote para areia, ração… E não se esqueça de um ou outro brinquedo.

4. Chegada

O fim-de-semana (ou outro período de folga) é a altura ideal para receber o animal de estimação – terá mais tempo para ele, ajudando-o a adaptar-se ao novo lar.

5. Saúde

Programe uma visita ao veterinário: vacinação e desparasitação são cuidados essenciais. Se optou por um felino ou um canídeo pondere a esterilização – discuta a possibilidade com o especialista.

6. Adaptação

Se adoptou um cachorro ou um gato bebé tenha cuidados redobrados na sua adaptação ao lar. É normal que esteja assustado e que à noite “choramingue” quando ficar sozinho. Para tranquilizá-lo, coloque uma manta ou peça de roupa com o seu cheiro na cama do bichano.

7. Segurança

Verifique que o animal não tem acesso a lixo, produtos de limpeza ou medicamentos – é importante que estejam em compartimentos fechados. Plantas como o narciso, a túlipa e o antúrio são tóxicas para os animais. Atenção ainda a objectos pequenos ou cortantes que podem ser vistos por cães e gatos como brinquedos.

8. Bem-estar

Corte as unhas e escove o pêlo do bichano com regularidade. Mime o seu novo amigo, mas imponha regras, garantindo uma saudável convivência.

Este artigo foi originalmente publicado na Recicla nº10. Pode ler todas as edições da Recicla no site da Sociedade Ponto Verde, em http://www.pontoverde.pt

12.00

Normal
0

21

false
false
false

PT
X-NONE
X-NONE

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin-top:0cm;
mso-para-margin-right:0cm;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0cm;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-font-family:”Times New Roman”;
mso-fareast-theme-font:minor-fareast;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;}

12.00

Normal
0

21

false
false
false

PT
X-NONE
X-NONE

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin-top:0cm;
mso-para-margin-right:0cm;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0cm;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-font-family:”Times New Roman”;
mso-fareast-theme-font:minor-fareast;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;}

 

Deixar uma resposta