“A redução da pegada ecológica é um dever de cada um de nós”

Em entrevista à Green Savers, Helena Lopes, gestora comercial da Grenke, explica como a empresa está a traçar o seu caminho rumo a uma maior eficácia na gestão de recursos naturais, que vai desde a poupança de milhares de folhas por ano na empresa, mas também nos incentivos para que os seus clientes e parceiros se tornem mais verdes.

Fala-se muito no flagelo dos plásticos, contudo o uso abusivo de papel é um problema mundial, muito devido à desflorestação. Consegue estimar, na Grenke, qual a quantidade de papel gasto anualmente?

Em média, um funcionário gasta cerca de 10.000 folhas por ano. Na Grenke conseguimos reduzir esse número para quase metade.  Cada funcionário na Grenke, junto dos seus clientes e fornecedores, não chega a gastar 5200 folhas por ano.

Em termos globais, no ano de 2020, a Grenke gastou cerca de 3.800 Kg de papel, um número que queremos reduzir, tomando as medidas e iniciativas necessárias. Pretendemos tornar-nos uma empresa mais verde, mais ecológica e reduzir o nosso impacto em termos ambientais no planeta.

A pandemia veio mudar muitos hábitos, começando pelo teletrabalho, esta nova modalidade de “home office” traduziu-se numa maior digitalização na Grenke?

A proteção ambiental, nomeadamente a redução do uso de papel, tem sido alvo de preocupação da Grenke, mesmo antes da obrigatoriedade do teletrabalho. A redução da pegada ecológica é um dever de cada um de nós enquanto indivíduos e, consequentemente, enquanto empresa. Consideramos ser nosso dever contribuir para um ambiente mais sustentável.

De modo a reduzir o consumo de papel, privilegiamos o uso de meios digitais nas comunicações internas e externas, promovemos junto dos nossos clientes e fornecedores a assinatura de contratos de forma digital, as faturas emitidas pela Grenke são disponibilizadas aos clientes no Portal de Cliente evitando desta forma a impressão em massa e respetivo envio em papel das faturas.

Vão lançar este mês um programa de incentivos para contratos digitais. Em que consiste este novo programa?

Desde 2015 que premiamos os nossos fornecedores caso os contratos celebrados sejam assinados de forma digital. No entanto, a partir do dia 1 de Maio de 2021 reforçámos e aumentámos este bónus. Todos os contratos que forem assinados de forma digital resultarão num pagamento por parte da Grenke de um bónus de 35€ + IVA por contrato, independentemente do valor do contrato celebrado.

Pretendemos, desta forma, fomentar o uso da assinatura digital e, simultaneamente, ter um papel ativo na proteção do planeta. É também nosso dever sensibilizar o mercado para as questões ambientais. Com esta iniciativa temos como objetivo chegar aos 60% de contratos digitais no nosso portfólio este ano e aumentar esta percentagem todos os anos.

Existe algum objetivo em termos de números que indique que o programa foi, ou está a ser, um sucesso?

Desde o início deste ano que já formalizámos mais de 1200 contratos em que foi adotada a assinatura digital, o que representa cerca de 60% dos contratos formalizados este ano.

Uma tendência crescente face ao ano anterior, dado que, em 2020, 44% dos nossos contratos foram assinados de forma digital.

Estamos, de facto, a ir ao encontro da meta que nos propusemos.

Incentivam de alguma forma as empresas clientes, parceiros e os vossos próprios colaboradores a terem consciência ambiental? Como por exemplo aquisição de papel com certificação de fontes sustentáveis…

Tal como referido anteriormente incentivamos os nossos parceiros e clientes a assinar os contratos digitalmente, evitando o consumo de papel. Incentivamos ainda os nossos clientes a utilizarem a faturação eletrónica. Nos casos em que os clientes optam pela faturação em papel, cobramos um valor adicional de 10€ por fatura, de modo a incentivar a utilização e o arquivo eletrónico das faturas, ao invés do arquivo físico.

Na procura da redução de papel optámos por reduzir o tamanho do contrato de locação. Atualmente, o nosso contrato é composto por apenas 3 páginas, ao invés das 6 páginas, como acontecia no passado. Não deixámos de prestar a informações aos clientes, optámos por disponibilizar a informação referente aos termos e condições gerais e o preçário no nosso site. Conseguimos desta forma reduzir a quantidade de papel e continuar a disponibilizar a informação aos clientes de forma clara e simples.

Numa vertente interna, promovemos a reciclagem através da distribuição de ecopontos e trituradora de papel, nomeadamente no escritório de Leira, onde me encontro.

De modo a ajudar à sustentabilidade do planeta abolimos a utilização de materiais descartáveis, como por exemplo os copos de plástico para água e café. Além disso, toda a iluminação dos escritórios é obtida por equipamentos LED.

Com a pandemia provocada pela COVID-19 e a consequente obrigação de utilização de equipamentos de proteção, foram disponibilizadas pelo Grupo Grenke máscaras de proteção laváveis a todos os colaboradores, em alternativa à utilização diária de máscaras descartáveis.

A Grenke tem prevista mais alguma ação em Portugal para ajudar na sustentabilidade do planeta?

Numa primeira fase pretendemos analisar e avaliar o impacto que a iniciativa dos contratos digitais teve em termos de sustentabilidade do planeta. Queremos analisar os números que conseguimos alcançar em termos de redução de papel, do número de árvores e litros de água que poupámos, assim como a redução dos níveis de carbono, e, posteriormente, tomar medidas e iniciativas que continuem a promover um ambiente mais sustentável e a reduzir a pegada ecológica.

A curto e médio prazo está a ser analisada a possibilidade de, na próxima renovação da frota automóvel, passarmos a utilizar carros elétricos. Já fazemos e queremos continuar a fazer a reciclagem de toners. A Grenke promove a reciclagem dos toners e os mesmos são doados a uma empresa que faz o seu reaproveitamento.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...