Afinal EUA ficam ou saem do Acordo de Paris? Donald Trump ainda não decidiu

A hipótese está a ser avançada por Donald Trump: em “teoria” os Estados Unidos poderão voltar a integrar o Acordo de Paris, o histórico tratado ambiental que luta pela redução das emissões de dióxido de carbono.

O anúncio foi feito esta quarta-feira pelo próprio Presidente dos Estados Unidos, depois de afirmar que “o Acordo de Paris, tal como assinámos, era muito injusto para os Estados Unidos”, não afastando a hipótese de no futuro “retornar” a este tratado ambiental.

Assinado a 12 de Dezembro de 2016 por 196 países, o Acordo de Paris tem ficado marcado por alguns avanços e vários retrocessos. Grande entusiasta do Acordo de Paris, Barack Obama acreditava que o documento seria uma poderosa ferramenta para conter o aquecimento global. Do outro lado do espectro, está o actual presidente dos EUA, que tem demonstrado pouca fé no acordo.

No Verão de 2017, Donald Trump e a sua administração anunciaram a saída dos EUA do Acordo de Paris. Em causa estaria a perda de competitividade económica que o Acordo traria ao país. “O Acordo colocava grandes penalidades para nós e tornou muito difícil fazermos negócios. Ele tirou muitos valor de nossos activos. Somos um país rico em gás, em petróleo, em carvão, e muitas outras coisas, e havia uma penalidade tremenda em usá-los. Isso atingia nossos negócios”, defendeu Donald Trump numa recente entrevista.

Foto: Gage Skidmore / flickr