Alpes: Itália prepara ligação de alta velocidade entre Turim e Lyon pela montanha

Prevista há 20 anos, a ligação de alta velocidade entre Turim (Itália) e Lyon (França), através dos Alpes, parece que finalmente sairá do papel. Segundo a imprensa britânica – Guardian e BBC – este projecto está a ser liderado pelo próprio primeiro-ministro italiano, Mario Monti, que acredita que o Treno Alta Velocità (TAV) será fundamental para o rejuvenescimento económico do norte de Itália.

O TAV, porém, é tudo menos consensual. Residentes locais e activistas ambientais temem pelas consequências ecológicas desta linha de alta velocidade, sobretudo para o ecossistema montanhoso e saúde da população, uma vez que esta obra implica a libertação de amianto e urânio que estão nas rochas.

A ligação entre Turim e Lyon é uma das últimas a ser construída, no centro da Europa, em alta velocidade ferroviária. E a França já fez o seu trabalho, tendo construído uma linha que liga o TGV à linha italiana, que entra 55 quilómetros nos Alpes.

Segundo o Governo italiano, a construção desta linha – e respectiva transição das frotas da estranha para a ferrovia – representa uma redução de substâncias tóxicas na atmosfera, em 2035, de 700 mil toneladas por ano.

Mas há quem não concorde. “Todos os dados nos dizem que é uma perfeita loucura construir esta linha, que é completamente desnecessária. A actual linha funciona perfeitamente. O número de passageiros e quantidade de bens que são transportados está a decrescer, e se queremos mesmo viajar até Paris, hoje em dia, temos o avião, que é mais barato”, explicou à BBC Doriana Tassotti, uma das activistas que tem protestado contra o projecto.

Segundo o Guardian, contudo, o projecto será mesmo lançado nas próximas semanas. Leia as notícias do Guardian e BBC.

Deixar uma resposta

Patrocinadores