Alugar calças de ganga? E por que não?

As calças de ganga são intemporais, sexy, versáteis mas constituem um terrível problema ambiental. Para produzir um par nos moldes tradicionais gastam-se 10 mil litros de água e utilizam-se substâncias poluentes. Daí que algumas marcas se tenham virado para métodos de fabrico alternativos. Mais radical, uma etiqueta holandesa lançou-se mesmo no negócio de… aluguer de jeans.

Chama-se Mud Jeans, a marca holandesa que decidiu avançar com o novo conceito de aluguer de calças de ganga. Considera-se a primeira marca de jeans realmente sustentável, porque é pioneira no modelo de economia circular. Desde 2013 lançou-se nesta vertente de negócio, cobrando aos clientes 7,50 pelo aluguer mensal de cada um dos seus modelos. Findo esse período o cliente poderá, se quiser, trocar de modelo. Para promover este conceito a Mud Jeans tem feito tours e tomado iniciativas como a promoção de limpeza do areal de praias, a fim de ser identificada como uma marca pró-ambiente.

Mas nesta guerra pela diminuição da pegada ambiental dos jeans entram marcas tão tradicionais como a Levis, pioneira neste segmento de negócio. A icónica marca tomou várias medidas para transformar o seu produto-estrela mais sustentável do ponto de vista ambiental e hoje apresenta a linha Water Less, que utiliza menos 96% da água de que os seus modelos tradicionais necessitam.

Outras marcas que se estão a esforçar para se tornar mais sustentáveis são a sueca Nudie Jeans, que só usa na confecção algodão 100% orgânico e vende modelos em segunda mão e a espanhola Xiro, cujos modelos são confeccionados a poucos quilómetros de Santiago de Compostela, resistindo à tentação da deslocalização e assim diminuindo a sua pegada ambiental. O material das suas peças também é composto por algodão 100% orgânico.

Mas os bons exemplos não acabam aqui. Para se manterem eternamente na moda as marcas de jeans não se querem alhear dos sinais dos tempos.

Foto: Mud Jeans (via Facebook)

Deixar uma resposta