Amnistia Internacional Portugal promove encontro de coragem

A Amnistia Internacional Portugal promove um evento para celebrar o ativismo nos próximos dias 7 a 9 de dezembro, em Lisboa, que visa mobilizar a sociedade civil portuguesa para a defesa dos direitos humanos.

O Fórum da Coragem tem um programa que contempla desde debates sobre o acolhimento e integração de refugiados em Portugal até uma cimeira de organizações e de pessoas que trabalham para mudar o mundo, como a defensora de direitos humanos ucraniana Vitalina Koval e a ex-diretora-executiva da Amnistia Turquia, Idil Eser.

“O Fórum da Coragem vai ser lugar de romper com o medo paralisante e divisivo, para ser sítio e tempo de encontro e soluções”, destaca Pedro A. Neto, diretor-executivo da Amnistia Internacional Portugal.

No dia de arranque do Fórum da Coragem (7 de dezembro), o tema central diz respeito à campanha global da Amnistia Internacional “Eu Acolho”, destinada a encontrar soluções humanas para o acolhimento e integração de refugiados. Três mesas redondas irão acolher debates públicos que contam com a participação de entidades governamentais, organizações não-governamentais e organismos que trabalham diretamente no acolhimento e integração, assim como académicos e refugiados.

A 8 de dezembro decorre a Assembleia Geral da Amnistia Internacional Portugal, com participação reservada a quem for membro da seção portuguesa da Amnistia Internacional.

E, finalmente, a 9 de dezembro decorre a campanha global da Amnistia Internacional BRAVE que reúne em cimeira perto de 20 organizações não-governamentais de todo o país e ativistas de direitos humanos portugueses e de outros países, que aqui se juntam para partilhar experiências e trocar aprendizagens.

Em destaque nesta cimeira está a intervenção de Idil Eser, ex-diretora executiva da Amnistia Internacional na Turquia, que foi presa e perseguida pelo regime daquele país por defender os direitos humanos, estando ainda em liberdade condicional e correndo o risco de incorrer numa pena de até 15 anos de prisão.

Vitalina Koval é também um nome em destaque no terceiro e último dia do evento. Koval é uma ativista ucraniana dos direitos LGBTI+, com um passado de perseguições e ataques físicos, que desenvolve o seu trabalho com o objetivo de encontrar cooperação com as autoridades ucranianas, para a criação e aprovação de legislação sobre os crimes de ódio e para pôr fim à impunidade dos ataques contra ativistas LGBTI+ e dos direitos das mulheres no país.

O 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a 10 de dezembro, serve ainda de mote inspirador para o movimento crescente de ativistas e defensores de direitos humanos em Portugal: “resistir juntos, vencer juntos” para contrariar a alarmante tendência de discurso de ódio, de divisão e de discriminação.

O Fórum da Coragem tem entrada aberta e gratuita a todo o público nas jornadas de 7 e de 9 de dezembro, devendo ser efetuada pré-inscrição.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...