Apenas sete países europeus não oferecem apoios para compra de carros elétricos

Apenas sete dos 27 países membros da União Europeia não oferecem incentivos para a compra de carros elétricos, como créditos fiscais ou subsídios diretos.

De acordo com os dados da Associação dos Construtores Europeus de Automóveis (ACEA), a Bélgica, Bulgária, Chipre, Dinamarca, Letónia, Lituânia e Malta são os únicos países europeus que não possuem qualquer tipo de programa de ajuda à compra de automóveis elétricos.

Estados como a Lituânia ou a Letónia, em que os carros recarregáveis ​​têm uma quota de mercado quase insignificante – 0,4% e 0,5%, respectivamente, ainda não oferecem incentivos para sua compra, como faz a Bulgária, onde os carros com ‘emissão zero’ representam 0,6% do mercado, enquanto a ACEA não fornece dados para Chipre ou Malta.

Por seu lado, nem a Bélgica nem a Dinamarca dispõem de programas de apoio à aquisição de modelos elétricos, embora se encontrem em melhor situação, uma vez que os veículos eletrificados representam 3,2% e 4,2% do seu mercado interno. No entanto, o resto dos países da UE oferecem incentivos para que os seus cidadãos adquiram um modelo mais amigo do ambiente.

Por exemplo, a França oferece até 7.000 euros para comprar um carro que emita menos de 20 gramas de dióxido de carbono (CO2) por cada quilómetro percorrido; a Alemanha dá até 9.000 euros para a compra de um carro elétrico e Espanha até 5.000 euros. Em Portugal se comprar um veículo 100% elétrico em 2020, pode candidatar-se ao incentivo do Estado no valor de 3000 euros.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...