Existem menos 81,7 milhões de hectares de área florestal no mundo



No espaço de 60 anos, a área florestal global diminuiu em 81,7 milhões de hectares. Isto resultou numa perda de floresta – 437,3 milhões de hectares – superior ao ganho florestal – 355,6 milhões de hectares. É o que revela um novo estudo do Instituto de Pesquisa Florestal e Produtos Florestais (FFPRI) do Japão, que analisou as mudanças ocorridas nas florestas entre 1960 e 2019.

De acordo com os investigadores, o declínio das florestas, combinado com o aumento da população mundial, durante o período em análise,  resultou numa redução da área florestal global per capita em mais de 60%, de 1,4 hectares em 1960 para 0,5 hectares em 2019.

A contínua perda e degradação das florestas afeta a integridade dos ecossistemas florestais, reduzindo a sua capacidade de gerar e fornecer serviços essenciais e de sustentar a biodiversidade. Isto também impacta a vida de pelo menos 1,6 bilião [1,6 mil milhões] de pessoas em todo o mundo, predominantemente nos países em desenvolvimento, que dependem das florestas para diversos fins”, explicam os autores do estudo, agora publicado na Environmental Research Letters.

Os resultados também revelaram que a mudança no padrão espaço-temporal das florestas globais apoia a teoria da transição florestal, com perdas florestais a ocorrer principalmente nos países mais pobres, situados nos Trópicos, e ganhos florestais nos países mais ricos. Apesar deste padrão espacial de perda de floresta ocorrer principalmente nos países menos desenvolvidos, o papel das nações mais desenvolvidas nessa dita perda de floresta também precisa de ser estudado mais profundamente. Com o fortalecimento da conservação florestal nos países mais desenvolvidos, a perda florestal é deslocada para os países menos desenvolvidos, especialmente nos trópicos, refere  Ronald C. Estoque, autor principal do estudo.

A equipa defende que reverter esta situação é essencial para cumprir com as metas de várias iniciativas desenvolvidas a nível mundial. “A monitorização das florestas do mundo é parte integrante de várias iniciativas ambientais e sociais globais, incluindo os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), o Acordo Climático de Paris e o Quadro Global da Biodiversidade Pós-2020. Para ajudar a alcançar os objetivos destas iniciativas, há uma profunda necessidade de reverter, ou pelo menos achatar, a curva global de perda líquida de florestas, conservando as florestas remanescentes do mundo e restaurando e reabilitando as paisagens florestais degradadas“.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.