As vaquitas estão a morrer à nossa frente. Já só há 10 em todo o mundo

Um dos animais mais raro dos oceanos, a vaquita (Phocoena sinus), também chamada de boto-do-pacífico, é uma espécie de golfinho, encontrada no Golfo da Califórnia. Infelizmente, Apesar de ter sido descoberta em 1958, a vaquita – o menor cetáceo do planeta – já está praticamente extinta. De acordo com o site Science Alert, os especialistas acreditam que haja apenas 10 exemplares vivos no planeta.

As vaquitas perdem a vida ao ficarem presas nas malhas das redes destinadas a camarões e peixes da espécie Totoaba macdonaldi, um peixe cuja vesícula gasosa é considerada uma iguaria na China. Em 1975, depois da Totoaba ter sido declarada ameaçada, o México proibiu a sua pesca. Mas apanhar este peixe é mais lucrativo e menos arriscado do que o narcotráfico, pelo que a sua captura ainda persiste – e as mortes das vaquitas são danos colaterais.

O International Committee for the Recovery of the Vaquita (CIRVA), criado por cientistas e organizações internacionais para tentar impedir a extinção da espécie, fez um alerta ao governo do México para tomar medidas sérias. Os esforços acabaram por não dar resultado. “Uma das criaturas mais incríveis da Terra está prestes a ser varrida do planeta para sempre”, disse Sarah Uhlemann, diretora internacional de programas do Centro para a Diversidade Biológica, nos Estados Unidos.

A vaquita tem 1,5 metros de comprimento (outros cetáceos podem chegam até 33 metros, como é o caso da baleia-azul). Uma de suas principais características é ter um anel de cor preta em volta dos olhos e manchas escuras ao redor da boca.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...