Autocarros eléctricos permitem à cidade de Oslo poupar €105 milhões em dez anos

Antes de 2020, todos os autocarros de Oslo têm de deixar de utilizar combustíveis fósseis. Para alcançar este objectivo, os actuais autocarros a diesel devem ser substituídos por autocarros eléctricos ou alimentados por biocombustíveis, uma mudança que, segundo um estudo da Siemens em parceria com a Volvo, permitirá ao município poupar até cerca de €105 milhões.

O estudo incidiu sobre 64 carreiras de autocarros no centro urbano de Oslo, que, em conjunto, operam actualmente um total de 460 veículos. Ao optar por um autocarro eléctrico-híbrido para estas carreiras, Oslo conseguirá economizar mais de €78 milhões em dez anos, em relação aos actuais autocarros de propulsão diesel. E comparando com os autocarros alimentados a bioetanol, a poupança chegará mesmo a cerca de €105 milhões.

“Embora os autocarros eléctricos sejam actualmente mais caros, a longo prazo serão um investimento muito mais rentável. A principal razão é que a electricidade é uma fonte de energia muito mais económica do que o gasóleo e do que todos os tipos de biocombustíveis. Além disso, com o mesmo nível de energia, um motor eléctrico permite uma viagem três a quatro vezes mais longa do que um motor de combustão”, explica em comunicado Lars Andersen, da Siemens Noruega.

Carregamentos durante o serviço

Existem dois conceitos de carregamento para os autocarros eléctricos. Ou a bateria do autocarro é carregada de forma a durar um dia inteiro de serviço e recarregada durante a noite, quando o autocarro está parado ou, em alternativa, são utilizados conjuntos de baterias mais pequenos que são carregados durante o dia através de estações de carregamento rápido, instaladas nas paragens de autocarro. É neste conceito que a Volvo vai apostar.

“O carregamento rápido nas paragens de autocarro é financeiramente mais favorável, uma vez que a mesma estação de carregamento serve para vários autocarros com um tempo de carregamento de apenas alguns minutos. Autocarros que são recarregados com frequência não precisam de conjuntos de baterias grandes. Por outras palavras,  este é um conceito que garante estarmos a transportar mais passageiros e menos baterias”, diz o director de marketing da Volvo Buses, Svenn-Åge Løkken.

Esta tecnologia de carregamento já existe e é utilizada diariamente em linhas de autocarro em Estocolmo, Gotemburgo e Hamburgo (na foto). A partir do Outono de 2016, a Volvo irá iniciar a produção em massa de autocarros eléctricos, o que significa que estarão disponíveis já no início de 2017.

O tempo de carregamento varia de acordo com a duração da carreira, mas situar-se-á entre oito a dez minutos. Mesmo com este tempo de espera, o conceito de carregamento rápido não implicará mudanças significativas nas carreiras actualmente operadas.

Deixar uma resposta