A fábrica de cimento que agora projecta edifícios

Em 1973, o arquitecto espanhol Ricardo Bofill descobriu nos subúrbios de Barcelona uma antiga fábrica de cimento, um complexo industrial abandonado no início do século XX e invadido há muito pela natureza. “Diante de mim havia 30 silos enormes, uma chaminé altíssima, quatro quilómetros de subterrâneos e salas de máquinas gigantesca”, explicou mais tarde Bofill.

Como conta o HIC Arquitectura, Bofill percebeu imediatamente o potencial da infra-estrutura. “Pensei que aquela coisa horrível se podia transformar em algo muito bonito, da mesma forma como a idiotice pode, por vezes, transformar-se em genialidade”, explicou.

A fábrica tinha sido construída no primeiro período de industrialização de Barcelona e, assim, não tinha tido uma planta prévia. Toda a construção tinha elementos de vários períodos, que se sobrepunham de uma forma industrial: escadas que não iam dar a lugar nenhum, volumes partidos, espaços potentes mas já inúteis e de estranhas proporções.

No entanto, Bofill conseguiu transformar aquela imensa estrutura na residência e o local de trabalho do arquitecto. A fábrica demorou dois anos para ser remodelada e reformada: o arquitecto definiu o novo espaço e demoliu algumas estruturas, expondo outras anteriormente escondidas e fazendo um imenso plantio de diversos tipos de vegetação. Ou seja, o projecto transformou a fábrica abandonada num autêntico castelo contemporâneo, repleto de terraços e jardins e ao qual ainda chama de casa.

Deixar uma resposta