BitCliq, a startup portuguesa decidida em tornar a pesca mais sustentável

A BitCliq será uma das oito startups internacionais presentes na Conferência Mundial da Inmarsat, evento promovido pela empresa líder mundial de comunicações por satélite e que leva a Lisboa, a partir de hoje e até quarta-feira, 8 de Novembro, todo o ecossistema Inmarsat.

Além da apresentação no palco das startups/newcomers, com destaque para a área marítima e das pescas, a empresa liderada por Pedro Manuel fará a apresentação do projecto “Big Eye Smart Fishing”. Trata-se de uma plataforma digital de gestão de frotas de pesca que representa a introdução das novas tecnologias na indústria marítima tradicional e que se assume como revolucionária, na medida em que acrescenta transparência na cadeia de valor (tecnologia blockchain).

Através da exibição do filme “Making a difference in sustainable fishing”, a empresa apresentará o projecto-piloto de aplicação da sua tecnologia em contexto nacional, envolvendo barcos de pesca, indústria nacional e um retalhista de renome. Deste modo, irá demonstrar a aplicação prática da tecnologia na comercialização e rastreabilidade ao longo de toda a cadeia de valor (pesca, desembarque, distribuição e venda ao consumidor final).

Assumindo-se como a empresa da indústria 4.0 no mar, a BitCliq foi uma das primeiras a entrar no negócio da rastreabilidade digital no sector alimentar, com os seus produtores a chegarem já aos quatro cantos do mundo.

O inovador software permite a gestão de frotas pesqueiras em tempo real, fornecendo uma visão 360º das operações realizadas no mar e em terra. A rastreabilidade digital do produto desde o mar até ao prato permite saber a origem do peixe, quando foi pescado, qual o barco usado e a tripulação, se cumpria todas as condições laborais ou se foi uma pesca sustentável, dados cada vez mais valorizados por quem está a comprar a mercadoria.

 Foto: via Creative Commons 

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...