Superalimento: termo utilizado para descrever alimentos de alto teor em fitonutrientes com elevados benefícios para a saúde. Palavras como spirulina, clorela, erva de trigo, maca, bagas de goji, matcha e açai fazem cada vez mais parte dos alimentos a privilegiar quando apostamos numa alimentação saudável.

Muitos destes super-alimentos já podem ser encontrados com facilidade nas grandes superfícies, mas o preço ainda um pouco elevado de alguns destes produtos retrai-nos na hora de avançar sem medos para uma alimentação mais saudável.

Mas não tem de ser assim. Alimentação saudável não tem de corresponder a muitos euros gastos, e a lista que aqui publicamos, via Notícias ao Minuto, demonstra isso mesmo. Alimentos do dia-a-dia, como brócolos, sardinhas e espinafres estão repletos de nutrientes que cuidam do nosso organismo, ao mesmo tempo que poupam a nossa carteira.

Vejamos alguns exemplos práticos, tendo em conta o preço médio a pagar. Assim, com um custo médio que ronda os três euros podemos encontrar:

– Couve-de-folhas: Vitamina A, K e C

– Abacate: Gordura insaturada, fibra e vitamina C

–  Bagas de açaí: Fibra, antioxidantes, animo-ácidos essenciais, vitaminas e minerais vários

– Mirtilos: Antioxidantes, vitaminas e minerais

– Sementes de chia: ácidos gordos ómega 3

– Quinoa: Proteína, ferro, zinco e vitamina B

– Água de coco: açúcares naturais

Ainda com menos euros gastos, mas igualmente repleto de nutrientes, podemos encontrar nestes alimentos todas as coisas boas que o nosso organismo precisa para se manter saudável:

– Brócolos: vitamina C, cálcio e fibra

– Espinafre: Fibra, folato, vitamina C e ferro

– Batata-doce: Vitamina A e C

– Kiwi: Fibra, vitamina e E, potássio, magnésio

– Trigo-sarraceno: Fibra, folatos, tiamina, riboflavina, ferro, vitamina E, zinco, magnésio e fósforo

– Sardinha/Salmão: Proteína e ácidos gordos, ómega 3

– Frutos secos: zinco, ferro e gorduras insaturadas

Foto: Alimentazione Sana / flickr