Cágados-mediterrânicos resgatados foram agora libertados na Fonte da Benémola



Esta semana, decorreu uma ação de libertação de nove cágados, na Paisagem Protegida Local da Fonte da Benémola, em Loulé. Spoon, Tapio, Tan, Tarzan, Timon, Tércio, Tazo, Txikia e Tiny são os nomes dos animais, que foram reabilitados pela equipa do Porto d’Abrigo do Zoomarine, e que regressaram agora ao meio natural, numa área protegida, onde existe a distribuição identificada da espécie.

Os cágados pertencem a uma das espécies endémicas de cágados que ocorrem em Portugal, o cágado-mediterrânico (Mauremys leprosa), protegida por estatuto de proteção, e classificada como em estado “pouco preocupante” de estatuto de conservação, de acordo com o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). As suas principais ameaças são a destruição, alteração e poluição do seu habitat, as capturas ilegais com fins comerciais e a introdução de espécies exóticas invasoras, em particular da tartaruga-da-flórida (Trachemys scripta).

A ação está alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, mais precisamente, o ODS 15 – Proteger a Vida Terrestre, que visa proteger, restaurar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, travar a perda de biodiversidade, e o ODS 13 – Ação climática, que visa adotar medidas urgentes para combater as alterações climáticas e os seus impactos.

A iniciativa foi desenvolvida pelo Centro de Reabilitação de Espécimes Aquáticas do Zoomarine, pelo Departamento de Conservação da Natureza e Florestas do Algarve do ICNF e pela Câmara Municipal de Loulé.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.