Campanha SOS Cagarro salvou mais de seis mil aves juvenis



A edição de 2021 da Campanha “SOS Cagarro” possibilitou o salvamento de 6332 cagarros (Calonectris borealis), revela a Direcção Regional dos Assuntos do Mar do Governo dos Açores.

A SPEA Açores – Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, que colabora anualmente na atividade, contabilizou o resgate de 662 cagarros no ilhéu de Vila Franca do Campo, 252 na ilha do Corvo, 91 na Povoação, 82 no Faial da Terra e 6 no Nordeste (ilha de São Miguel) – tendo ainda sido encontradas algumas aves já mortas.

A ONG explica que, este ano, o contributo na minimização do impacto da poluição luminosa na ilha do Corvo levou a que menos aves fossem encontradas desorientadas e mortas. Já no ilhéu de Vila Franca do Campo, existe espaço para melhorar, dado que o número de cagarros encontrados continua a ser elevado. Esta situação deve-se, sobretudo, à iluminação do porto ser “pouco eficiente e de alto impacto”, com “LEDs brancos de cor fria, luminárias direcionadas para o ar”, explica a SPEA Açores em comunicado.

A Campanha “SOS Cagarro” é coordenada pela Direcção Regional dos Assuntos do Mar do Governo dos Açores, em parceria com a Secretaria Regional do Ambiente e Alterações Climáticas e com os Serviços de Ambiente e Parques Naturais, e tem como objetivo garantir que os cagarros juvenis que saem dos ninhos e são afetados pela poluição luminosa em determinados locais da Região Autónoma dos Açores, são salvos, sendo posteriormente devolvidos à natureza.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.