Graças ao financiamento da Fundação da marca IKEA Brighter Lives for Refugees foi construído o primeiro campo de refugiados iluminado a energia solar. Edificado na região deserta de Azraq na Jordânia está equipado com uma instalação que permite autonomia energética para os mais de 20 mil sírios que aí habitam, segundo notícia divulgada no Independent.

Esta iniciativa aumenta exponencialmente a qualidade de vida destas pessoas enquanto permite às Nações Unidas uma poupança anual de cerca de 1.500.000 euros. Nesta região os dias são curtos e o sol põe-se cedo. Com a chegada da electricidade, as crianças podem continuar a estudar depois da noite cair e os adultos não têm de interromper as suas tarefas diárias.

Com acesso a melhores sistemas de refrigeração, é possível fazer também uma gestão mais eficaz dos alimentos. As sobras não têm de ir para o lixo, podem ser guardadas para a refeição seguinte, garantindo uma melhor preservação dos alimentos num local onde as temperaturas são habitualmente muito elevadas.

“Na Síria estávamos habituados a um certo estilo de vida”, explica Fátima, uma mãe solteira de 52 anos, vinda de Damasco. “De um momento para o outro tornámo-nos refugiados. Para alguém que está habituado a ter electricidade foi impossível, até então imaginar-me sem ela. Os painéis solares fazem toda a diferença na melhoria da nossa qualidade de vida.”

Foto: via Facebook

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php