Canadá recusa proteger 76 espécies ameaçadas

O Canadá recusou aceitar um acordo internacional para proteger 76 espécies de animais e plantas ameaçadas do comércio internacional. Documentos divulgados pela Convenção Internacional de Comércio de Espécies Ameaçadas (CITES) revelam que o Canadá é a primeira nação a optar por não aceitar proteger as espécies.

Delegados de 180 países na CITES decidiram votar a favor da adição de 76 espécies de plantas e animais a uma lista de espécies ameaçadas. Tal significa que, idealmente, os 180 países iriam adaptar a legislação interna própria para proteger as novas espécies da lista do comércio internacional. O primeiro acordo internacional da CITES teve lugar em 1973 e desde então nunca nenhum país rejeitou o pacto.

O Canadá, no entanto, escolheu ser a única nação entre 180 a rejeitar os termos do tratado. De acordo com as declarações do porta-voz da Environment Canada, Danny Kingberry, as objecções à protecção são “técnicas” e não substantivas. Basicamente, o Canadá argumentou que não teria tempo suficiente para criar legislação para assegurar a protecção das espécies propostas. Em anos anteriores, o país norte-americano não teve qualquer problema em fazer emendas à legislação vigente para acrescentar as novas espécies a proteger no período de 90 dias concedido pela CITES.

Embora tenha decidido não proteger as 76 espécies, o Canadá não comercializa qualquer das plantas ou animais em questão. No verão passado, o Governo canadiano comprometeu-se mesmo a actualizar as regulamentações comerciais sobre a fauna e flora selvagem do seu território, mas até à data ainda não foi tomada qualquer decisão.

Foto: SteveD. / Creative Commons

Deixar uma resposta