Cão abatido a tiro em Monsanto gera indignação nacional

“Mataram o meu melhor amigo”, escreveu o dono de Simba, José Diogo Castiço, num post de Facebook, onde acusa o vizinho de ter abatido o seu cão a tiro. A história de Simba está a tornar-se num caso de mobilização nacional desde que foi publicada na rede social no último sábado. Os donos do animal exigem agora justiça e apelam à indignação pelos “animais que sofrem nas mãos a crueldade do homem”.

José Diogo Castiço vive com a mulher, Andreia Mira, em Monsanto, no concelho de Idanha-a-Nova. Ele tem uma empresa de equitação, a Monsanto a Cavalo e ela uma loja de produtos da terra na aldeia. Vivem numa quinta com vários cães, entre os quais se destacava Simba, um Leão da Rodésia de cinco anos.

De acordo com o relato de José Diogo Castiço, Andreia estava na quinta quando ouviu dois disparos. Pouco depois, Simba apareceu a cambalear e a ganir. Deitado aos pés de Andreia, o animal morreu pouco depois devido aos ferimentos provocados pelas balas. Simba terá sido abatido por um vizinho do casal, por razões ainda por confirmar.

Acompanhado pela GNR, José Diogo castiço dirigiu-se à propriedade do vizinho, onde este negou as acusações. “O autor do disparo, que diz ter sido de aviso…para o ar, negou…negou tudo, negou ter morto o meu cão, negou ser um assassino, negou ser cruel, negou não possuir uma réstia de amor pela vida animal, respeito pela vida dos outros, respeito pela minha mulher que minutos antes o cumprimentara ao chegar à quinta enquanto este podava uma parreiras”, escreve o dono de Simba no post.

José Diogo Castiço assegura que Simba era “simpático com todos” e que o veterinário local passou uma declaração de não-agressividade em conjunto com o óbito, onde foi declarada morte por arma de fogo. Simba foi sepultado no dia seguinte, mas esta terça-feira o corpo foi exumado para autópsia, um conselho que José Diogo seguiu “para garantir que nada fica por registar”, quanto à causa da morte de Simba.

Andreia e José Diogo apresentaram já uma queixa na GNR local pela morte de Simba e o caso foi já remetido para o Ministério Público, que vai decidir se há abertura de inquérito ou não.

Petição pede justiça pela morte de Simba

Esta terça-feira foi lançada uma petição pública online intitulada “Fazer justiça pela morte de Simba”, documento que foi já assinado por mais de 19 mil pessoas.

A petição tem como destinatários o primeiro-ministro, o Ministério do Ambiente e o PAN – Pessoas-Animais-Natureza, sendo que este último ofereceu apoio jurídico a Andreia e a José Diogo.

Além da petição, a solidariedade dos portugueses tem sido demonstrada ao casal através dos vários comentários e mensagens de apoio deixadas através dos mais diversos meios. Esta terça-feira o post de José Diogo tinha mais de 2.500 comentários e mais de 25 mil partilhas.

“Eu não quero que a morte do meu cão, do meu Bubu seja em vão, precisamos de justiça e acreditamos tanto na do homem como na de Deus que nunca falha e nunca tarda. Em Portugal a lei mudou, precisamos de justiça para o Bubu, para as centenas de animais que sofrem nas mãos da crueldade do homem, de pessoas de má índole que são autorizadas a possuir armas em casa, a disparar sobre outros animais e rechear paredes com cabeças de animais mortos”, escreve José Diogo no Facebook.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...