Carro do Príncipe Carlos é movido a resíduos de vinho branco e soro de leite

No que refere à transição rumo a um futuro mais sustentável, todos podemos fazer a nossa parte, independentemente do nosso estatuto. Exemplo disso é o Príncipe Carlos, filho da rainha de Inglaterra Isabel II, que admitiu em entrevista à BBC ter em mente esta problemática também nos seus carros.

O clássico Aston Martin DB6 de 1969, que recebeu quando completou 21 anos, foi convertido para ser movido a combustível E85 – que é composto em 85% por bioetanol e 15% de gasolina sem chumbo. Mas este bioetanol não é comum: é feito através de resíduos de vinho branco e de soro de leite proveniente da produção de queijo, pela empresa britânica Green Fuels.

Em entrevista à Aston Martin Magazine, o príncipe deixou clara a sua vontade de mudança: “No início, os engenheiros não estavam convencidos de que a conversão funcionaria, mas eu insisti que funcionaria. Quando a conversão foi feita, eles tiveram de admitir que o carro tem agora um desempenho melhor do que nunca”.

Não escondendo a sua paixão pelos carros, o Príncipe de Gales revela ainda que na sua coleção, muitos dos veículos já são elétricos. No entanto, aponta ainda que o hidrogénio é também uma aposta a ter em conta no setor da mobilidade.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.