uma casa paradisíaca em Itália

Criada por Bart Conteiro, esta casa sustentável foi pensada para se fundir o mais possível com a incrível paisagem mediterrânea, num conceito de “arquitectura sem arquitectos”. Conhecida como G-M House, esta residência, eficiente em termos energéticos, equilibra na perfeição as suas curvas e contracurvas modernas com o ambiente tradicional em redor.

As paredes exteriores da casa são feitas de tufos vulcânicos, rochas que se formam ao longo dos anos com os detritos expelidos dos vulcões. Também no isolamento da casa houve preocupação em usar materiais amigos do ambiente e das proximidades, com os painéis de cortiça a serem aplicados na totalidade das paredes.

Fruto comum naquelas paragens, as pêras espinhosas foram mais um recurso natural usado nesta casa paradisíaca. Os construtores misturaram fibras naturais da pêra espinhosa com outros ingredientes locais, como o barro e a cal, conseguindo assim mais um material de construção altamente sustentável. Em adição a este processo, já de si tão ecológico, no interior da casa foram apenas usados materiais recicláveis, ficando completamente de fora o uso de aditivos químicos, resinas ou solventes.

Mas não é tudo. Também as técnicas de arquitectura bioclimática estão presentes em todos os recantos da casa, com o sol, a vegetação, a chuva, o vento, a serem parte integrante do projecto. Esta forma de construir permite minimizar impactos ambientais e reduzir o consumo energético ao máximo, com a sustentabilidade omnipresente, quase numa unidade única com a natureza.

As enormes janelas e o pátio fornecem a tão necessária ventilação em pleno Mediterrâneo, e as largas paredes permitem que a casa acumule energia térmica no Inverno, mantendo-a fresca no Verão. Instalados no telhado da casa, estão também os painéis solares bem como um sistema de recolha de águas pluviais.

Muito mais que uma casa com uma vista de cortar a respiração, este edifício quer ser um elo de ligação entre a tecnologia, as características próprias do local e o uso de fontes de energias renováveis, recuperando leis de construção antigas onde o clima era sempre uma variável da equação.

Fotos: Bart Conterio Architetto