Celorico de Basto quer ter a maior coleção de camélias da Europa



Celorico de Basto quer ter a maior coleção de camélias da Europa, no âmbito de um projeto que vai candidatar a fundos europeus que representa um investimento de cerca de um milhão de euros, disse o presidente da câmara.

Segundo Peixoto Lima, tudo está a ser trabalhado em articulação com a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e a Cooperativa Árvore, através de protocolos já celebrados, para dar ao projeto “consistência científica”, mas também artística.

O autarca falava à agência Lusa após uma conferência de imprensa de apresentação da 18.ª Festa Internacional das Camélias, que se realiza de 16 a 18 de março, naquele município do distrito de Braga.

A ideia, explicou hoje o presidente da câmara, é aproveitar a Quinta do Prado, junto aos Paços do Concelho, a Quinta de S. Silvestre, junto à Biblioteca Professor Doutor Marcelo Rebelo de Sousa, e outras áreas verdes da vila para plantar milhares de árvores daquela espécie de planta que é o ‘ex-líbris’ local.

“Queremos criar um laboratório vivo de camélias e um centro de divulgação”, sinalizou o autarca, referindo que o propósito passa por ter, no novo conceito, todas as variedades conhecidas de camélias numa área de vários hectares.

Para o autarca, apesar de o concelho ser conhecido pela sua tradição com as camélias, há ainda “muito a fazer” para que Celorico de Basto se transforme no “grande centro produtor de camélias para todo o país, como se deseja”.

“É preciso ensinar a ganhar dinheiro com as camélias”, comentou à Lusa, referindo que o projeto também comportará esse lado económico, a par da componente artística, tendo em conta que aquela planta, em especial as suas flores, é inspiradora de várias correntes ligadas à escrita e às artes plásticas.

O projeto propõe-se, em simultâneo, criar uma “Quinta Ciência Viva” desenvolvida em conjunto com programa nacional, para que possa ser visitado por todos os apreciadores.

Também no âmbito da candidatura, está prevista a criação de um roteiro pelos jardins históricos, vários dos quais centenários, espalhados pelo concelho.

Esta dinâmica, frisou, também pretende atrair a Celorico de Basto cada vez mais apreciadores e produtores de camélias espalhados pelo mundo, incrementando o crescimento do turismo local.

A Festa Internacional das Camélias vai decorrer com um programa similar ao de anos anteriores, destacando-se a exposição que costuma reunir centenas de arranjos de camélias, de diferentes variedades, a maioria dos quais espanhóis e também brasileiros, além dos portugueses.

Como habitualmente ocorre, a vila estará decorada com elementos relacionados com as camélias, nomeadamente nas fachadas e varandas das casas e nas montras dos estabelecimentos comerciais.

A novidade este ano é que as antigas estações ferroviárias do concelho, recentemente requalificadas pela autarquia, estarão decoradas com centenas de camélias, convidando assim a uma visita aos vários jardins situados ao logo da ecopista do Tâmega.

O desfile do último dia, que inclui uma batalha de flores, reunirá centenas de pessoas das instituições locais, em torno do tema camélias, este ano com olhos postos na sustentabilidade, através de materiais cedidos pela câmara.



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.