China: número de porcos mortos no rio Huangpu subiu para os 12.566

Dez dias depois de os primeiros moradores locais terem dado conta do fenómeno junto a uma estação de tratamento de água, as autoridades chinesas continuam a retirar porcos mortos do rio Huangpu, que atravessa a cidade de Xangai. Até agora, segundo a AP, já foram recolhidos 12.566 porcos.

O fenómeno verifica-se numa altura em que uma série de investigações revelaram o comércio ilegal de carne de porcos doentes. Acredita-se que os animais provêm de quintas localizadas acima do rio, com base nas identificações que têm nas orelhas. A posição do governo é a de dizer que a qualidade da água não está comprometida e que continua a ser segura para consumo.

Embora a causa do incidente continue sob investigação, os testes de qualidade da água ao longo do rio identificaram vestígios de circovírus, um vírus que pode afectar os porcos mas não os seres humanos.

A poluição atmosférica, o lixo nos rios e os solos contaminados têm-se tornado uma fonte de indignação na China ao longo dos últimos meses. Os especialistas dizem que as águas subterrâneas em metade de todas as cidades chinesas estão contaminadas – a maioria de forma grave – e que a poluição dos solos pode estar difundida por 15 das 33 províncias do país.

As fotografias divulgadas mostram os corpos inchados dos animais a flutuarem perto das margem do escuro rio. “O cheiro insuportável dos porcos, fruto da exposição ao sol forte e ao calor que se faz sentir em Xangai nestes dias, tem deixado a maioria dos repórteres presentes doentes”, escreveu o popular blogue chinês Ministry of Tofu.

Os chineses estão cada vez mais revoltados com os recorrentes problemas ambientais no país – e não é para menos.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...