Cientistas descobriram que a Enguia-elétrica caça em grupo

A enguia-elétrica da espécie Electrophorus voltai foi identificada pela primeira vez em 2019, no rio Amazonas, na Floresta da Amazónia. Os biólogos descobriram na altura que este animal tem a capacidade de produzir um choque elétrico de 860 volts, um limite superior ao anteriormente pensado de 650 volts.

Uma nova investigação do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia acerca da espécie revelou que, tal como os mamíferos, estes animais também caçam em grupo. A descoberta mudou a perceção que os cientistas tinham da E.voltai, dado que a consideravam um predador noturno solitário. Além disso, em termos de predação, os peixes são conhecidos por agir individualmente.

A equipa observou a atividade das enguias elétricas no Rio Iriri. Os resultados demonstram que  caçavam duas vezes por dia, ao amanhecer e ao anoitecer, em grupos com mais de 100 enguias. Avançavam em conjunto prendendo pequenos peixes, na parte mais rasa do lago – local onde estes descansam – e depois algumas atacavam em subgrupos.

“Esta predação social poderia ter surgido com base numa regra simples a nível individual: continue a caçar com os mesmos indivíduos enquanto tiver sucesso, e assim forma-se um grupo estável”, explica o autor Carlos David de Santana, na Science. Os cientistas procuram agora estudar melhor as enguias elétricas, de maneira a perceber se esta predação se restringe ou não apenas à espécie E.voltai.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...