Instituto Pasteur decifra a bactéria da doença do legionário

Um grupo de investigadores do Instituto Pasteur, em Paris, decifrou pela primeira vez um dos mecanismos fundamentais utilizados pela bactéria responsável pela legionella para se espalhar pelo organismo humano.

Como explica a reportagem publicado hoje no jornal El Mundo, “a Legionella pneumophila, o agente patogénico que causa a infecção, ataca as células que causam fragmentação nas mitocondrias – responsável pela respiração celular – que modifica seu metabolismo, altera a produção de energia e cria um ambiente favorável para se reproduzir”.

O trabalho publicado em destaque pela revista “Host & Microbe”, abre uma nova perspectiva no desenvolvimento de terapias contra doenças infecciosas, particularmente aquelas que causam alterações metabólicas causadas por bactérias patogénicas. A descoberta também sugere que as estratégias destinadas a prevenir o dano mitocondrial podem ser as mais eficazes na luta contra infecções causadas por Legionella.

“Produzimos antibióticos há 70 anos e o problema é que estamos desenvolver resistência a estes antibióticos”, explica ao jornal Pedro Escoll, investigador espanhol do Instituto Pasteur e principal autor deste estudo liderado por Carmen Buchrieser. “É interessante apresentar uma mudança de estratégia e visar mais a protecção de células no sistema imunológico”. A pesquisa detalha como as bactérias são capazes de transformar funções mitocondriais e usá-las para seu benefício. Este processo lembra o comportamento de algumas células tumorais, o que levou os autores a sugerirem que poderia haver um paralelismo entre ambos os processos.

Recorde-se que houve em Portugal um surto de Legionella em Novembro de 2014, que infectou 375 pessoas, provocando a morte a 12.

Foto: Wiki Commons

Deixar uma resposta