Cientistas estão a perfurar o gelo mais antigo da Antártida



Os cientistas estão a perfurar o gelo mais antigo da Antártida, com o objetivo de estudarem o clima de há 1,5 milhão de anos. O projeto “Beyond EPICA-Oldest Ice” é financiando pela Comissão Europeia e coordenado pelo Instituto de Ciências Polares do Conselho Nacional de Pesquisa de Itália (CNR-ISP).

O projeto iniciou em 2019 e terá uma duração de 7 anos, relata o British Antarctic Survey (BAS), parceiro do projeto.

A primeira fase da campanha de perfuração começou no passado mês de novembro, na área do Little Dome C, a uma altitude de 3.233 metros acima do nível do mar. Esta fase vai durar até janeiro de 2022, e a equipa espera conseguir perfurar cerca de 170 metros por semana.

Vão ser recolhidas várias amostras de gelo, armazenadas temporariamente numa caverna de gelo, que serão analisadas posteriormente. Os investigadores esperam obter informações acerca do clima e dos gases com efeito de estufa presentes na atmosfera na época, a fim de relacionar essas condições com a evolução da temperatura.

“Durante o nosso projeto anterior EPICA (European Project for Ice Coring in Antarctica), que terminou em 2008, conseguimos extrair e analisar um núcleo de gelo de 800.000 anos. Agora estamos a tentar voltar atrás no tempo: porque se quisermos ter uma perspetiva correta sobre o que o mundo está a experienciar atualmente com as alterações climáticas, e adotar estratégias de mitigação adequadas, devemos olhar ainda mais para trás – que é o que estamos a tentar a fazer na Antártida com o Beyond EPICA-Oldest Ice”, explica Carlo Barbante, diretor do Instituto de Ciências Polares, ao BAS.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.