Cientistas ‘ressuscitam’ micróbios com mais de 100 milhões de anos

A ciência tem permitido conhecer diferentes espécies que viveram no Planeta Terra há milhões de anos atrás, e com o desenvolvimento da tecnologia, o ser humano tem feito descobertas únicas.

Uma equipa de cientistas da Japan Agency for Marine-Earth Science and Technology (JAMSTEC) conseguiu “ressuscitar” micróbios com mais de 100 milhões de anos. O grupo recolheu amostras de sedimentos do fundo do oceano, no Giro do Pacífico, com 101,5 milhões de anos.

Apesar do passar do tempo, e da escassez de nutrientes, os micróbios conseguiram sobreviver em estado latente sem gastar energia.

Steven D’Hondt, um dos autores do estudo, explicou ao The Guardian “Nos sedimentos mais antigos que perfurámos, com a menor quantidade de comida, ainda existem organismos vivos e eles conseguem acordar, crescer e multiplicar-se“.

O estudo revela que existem espécies de micro-organismos que conseguem sobreviver tantos anos, como desde a época dos dinossauros, mesmo em locais profundos e pouco nutridos.

Iodp Jrso/ The Guardian.
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...