Cimento luminoso

Cimento que brilha é a solução desenvolvida pelo investigador José Carlos Rubio, da Universidade de Michoacana de San Nicolas de Hidalgo, no México, para iluminar auto-estradas sem recurso a electricidade, avança o inhabitat.

O profissional, que há nove anos investiga o cimento, refere que o primeiro problema do material é ser opaco, o que o levou a desenvolver uma solução para colmatar essa característica.

Rubio iniciou o processo de transformação deste material misturando-o com água. Mistura que, no seu estado inicial, leva à formação de um gel que forma flocos de cristal. Mas como estes se tornam num subproduto desnecessário, Rubio desenvolveu uma forma para alterar a micro-estrutura do cimento por via da eliminação dos flocos de cristal. Transformação que origina um efeito triplo: cimento sem flocos de cristal, capaz de absorver energia solar e capaz de emitir luz no escuro.

De acordo com o cientista a luz emitida pelo cimento, isto é pela solução por si criada, pode durar 100 anos e emitir luminosidade no escuro até cerca de 12 horas. E a intensidade da luz, que brilha em azul ou verde, pode ser alterada de modo a não incomodar condutores ou ciclistas.

O cimento “que brilha” pode ser aplicado a estradas e auto-estradas bem como em edifícios.