Como o poderemos convencer a ser cliente do carsharing? (com VÍDEO)

Luís Rosendo vive em Torres Vedras, trabalha em Lisboa e tem um “commuting” invulgar: ele apanha um autocarro para a capital portuguesa e, estando lá, utiliza um sistema de carsharing para chegar ao local de trabalho ou avançar para as reuniões diárias.

O consultor de comunicação apoia-se num cliente para todas estas voltas, a Mobiag, uma plataforma tecnológica desenvolvida em 2011, em Portugal, que permite aos utilizadores escolherem o carro que pretendem – por proximidade, por exemplo –, reservá-lo e abrir as portas – as chaves estão dentro da viatura. Tudo com uma aplicação no telemóvel

“O nosso modelo assenta na premissa de utilizarmos o carro como nosso. Apanhamos o carro onde estamos – ele está perto de nós – e deixamo-lo no nosso destino final. E só pagamos o tempo de conduzimos”, explicou ao Economia Verde João Félix, da Mobiag.

De acordo com o responsável, este sistema não só é mais flexível como está totalmente assente na tecnologia da própria Mobiag. Uma das diferenças em relação a outros modelos é a possibilidade de utilizar carros de diferentes frotas.

“Um cliente de qualquer operador pode utilizar qualquer um dos carros do sistema. É isto que nos diferencia das ofertas típicas de carsharing. Normalmente, um cliente está limitado aos carros que o seu operador lhe disponibiliza”, continuou João Félix.

O projecto recebeu apoio do QREN e conta com parcerias da Opel e LeasePlan. O preço fixa-se nos €0,29 por minuto – custo por minuto com o carro em viagem – todas as outras despesas – estacionamento, combustível, seguro ou manutenção – estão incluídas.

A inscrição pode ser feita aqui e, a partir desse momento, o utilizador pode utilizar qualquer carro do sistema – no final da viagem, a aplicação informa o utilizador do valor da viagem.

Até ao final do ano, a Mobiag espera aumentar a frota de 40 para 100 viaturas, expandido o projecto para Espanha, norte da Europa e América Latina em 2015.

Em Lisboa, o projecto-piloto decorre até Setembro e existem menos de 100 pessoas inscritas. Nos próximos dois anos, porém, a Mobiag espera chegar a 30 mil clientes. Um objectivo muito complicado – senão impossível –, mesmo tendo em conta o público-alvo: os 114 mil carros que entram em Lisboa, todos os dias, com um único ocupante. Como os poderemos convencer dos benefícios do carsharing?

Foto: Yiannis Chatzitheodorou / Creative Commons

Deixar uma resposta