Covid-19: Afinal, a redução das emissões foi significativa ou não?

As emissões de gases de efeito de estufa (GEE) caíram drasticamente no período em que a pandemia de Covid-19 se começou a verificar em diferentes partes do mundo. Como forma de combater o novo vírus, vários países começaram a entrar em períodos de confinamento, e os setores industriais abrandaram.

Um novo artigo publicado na Nature revela que, embora as emissões de dióxido de carbono (CO2) tenham reduzido em 2020, o segundo semestre do ano ficou marcado pela retoma das atividades e pelo consequente aumento das emissões.

Em relação a 2019, o ano passado houveram menos 6,4% de emissões de CO2 em todo o mundo. Na Europa e no Reino Unido, registou-se um decréscimo de 7,7%, nos Estados Unidos de 12,9% e na China de 1,4%. Os especialistas explicam a baixa redução da China com à rápida recuperação que o país teve após controlar o surto do vírus.

Ao longo das semanas, como se pode observar no gráfico abaixo, a maior redução deu-se no início do surto mundial, entre as semanas 10 e 20 (março e maio). No entanto, no final do ano este números voltaram a subir.

Carbon Monitor programme / Nature analysis
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...