De cartões velhos a peças de mobiliário reciclado: todo o processo por trás do projecto da CGD

Desde 2015, cerca de 11 toneladas de cartões bancários já foram reciclados pela Caixa Geral de Depósitos (CGD) e transformados, através da valorização e reciclagem do plástico, em peças de mobiliário urbano ou jogos didácticos.

Tendo por base o conceito de economia circular e através de um projecto desenvolvido em parceria com a empresa Extruplás, os cartões bancários e não bancários (por exemplo, cartões de fidelização), entregues nas agências do banco são valorizados através de reciclagem de plástico.

Em 2017, ao Centro Social de Palmela, ao Centro Social da Trafaria e ao Centro Paroquial Padre Ricardo Gameiro foi entregue um jogo do galo feito a partir dos mil pedacinhos de plástico provenientes daqueles cartões obsoletos. O “Banco “Trás os Montes”, produto que mostra como a reciclagem se pode unir à criatividade para um resultado excepcional, foi entregue à Associação Acreditar. 

Mas como funciona todo o processo desde o momento em que entregamos o nosso cartão numa agência da CGD até ao produto final? Triagem, trituração, intrusão, transformação em perfis, carpintaria, tudo etapas fundamentais para transformar um pedaço de plástico em mesas, bancos, cadeiras e tantas outras possibilidades.

Com esta reutilização é possível dar uma vida ao plástico, que outra forma iria para aterro, e evita-se a utilização de madeira, havendo assim uma dupla vantagem ambiental neste projecto. Descubra aqui como todo funciona todo este processo.

Patrocinadores