Dieselgate: 5.000 mortos por ano e mais argumentos contra os veículos a gasóleo

Dois anos depois das primeiras notícias que deram origem ao escândalo “dieselgate”, um novo estudo publicado na Environmental Research Letters  vem dizer que as emissões acima dos limites legais estabelecidos e subsequente poluição do ar podem ser responsáveis ​​por 5.000 mortes por ano na Europa.

Os investigadores, com base na Noruega, Áustria, Suécia e Holanda, calcularam que cerca de 10.000 óbitos podem ser atribuídos anualmente na Europa a emissões finas de partículas de veículos a diesel. E que quase metade destas mortes (aproximadamente 4.750) teria sido evitada se as emissões de emissões de óxidos de azoto (NOx) desses veículos fossem as previstas em testes laboratoriais.

Um estudo publicado em Maio na revista “Nature” já tinha calculado que de um total de 107.600 mortes prematuras associadas às emissões de NOx, em 2015 quase 38 mil pessoas morreram devido a emissões acima dos limites legais estabelecidos.

Os motores diesel emitem, supostamente, menos dióxido de carbono, prejudicial ao ambiente, do que a gasolina, mas significativamente mais NOx, em particular, o dióxido de nitrogénio (NO2) que é um gás de escape que é prejudicial ao sistema respiratório. 

Acontece que simultaneamente, um novo estudo da Federação Europeia de Transportes e Ambiente (T&E) de que a Zero – Associação Sistema Terrestre Sustentável é membro, mostra que os carros a gasóleo não só poluem o ar, mas também emitem mais gases com efeito de estufa do que carros a gasolina. Uma análise do ciclo de vida das emissões dos veículos comprova que os carros a gasóleo ao longo da sua vida emitem mais 3,65 toneladas de dióxido de carbono (CO2) do que um equivalente a gasolina.

Em comunicado, a ONG portuguesa refere que “Esta análise desacredita a afirmação dos fabricantes de automóveis de que carros gasóleo são necessários para atingir seus objectivos climáticos. Um olhar sobre os folhetos e sites dos fabricantes de automóveis demonstra que a diferença entre motores a gasóleo e a gasolina comparáveis é insignificante: de zero a alguns gramas de CO2. Mas os carros a gasóleo geralmente custam 2.000 a 3.000 Euros a mais do que os a gasolina. As alternativas actualmente disponíveis, como os veículos híbridos a gasolina, têm preços similares ao gasóleo, mas emitem cerca de 20-25% menos de CO2”. E aponta o dedo às taxas distorcidas, normas de emissão injustas e regulamentos tendenciosos que têm favorecido os automóveis a gasóleo nos últimos anos. 

E porque Portugal é um país com um parque automóvel historicamente baseado nos veículos a gasóleo, a Zero defende que se deve acelerar a transição para veículos limpos e eléctricos e que “isso tem de ser traduzido no próximo Orçamento do Estado e nas políticas locais de restrição à circulação automóvel”.

Foto: Creative Commons

 

 

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php