EDP anuncia parceria com ‘gigante’ do setor de saúde para gerar de energia solar no Brasil



A EDP Brasil informou ontem que firmou um contrato com a Hapvida NotreDame Intermédica, maior grupo de saúde e odontologia do Brasil, com duração de 15 anos para a autoprodução de 30,50 MWac de energia solar no país sul-americano.

A geração de energia solar deve suprir cerca de 85% da procura das unidades da NotreDame Intermédica nos próximos anos e será gerada numa unidade fotovoltaica localizada no estado de São Paulo cujo investimento será dividido entre a EDP Brasil (50%) e a EDP Renováveis (50%).

A transação aguarda aprovação do Conselho de Administração para Defesa Económica (CADE) do Brasil.

“A iniciativa é extremamente significativa e simbólica, pois coloca a Hapvida NotreDame Intermédica na vanguarda do setor de saúde, quando o assunto é a autoprodução de energia solar”, apontou no comunicado João Alceu Amoroso Lima, vice-presidente de Ambiental, Social e Governança (ASG) do Grupo Hapvida NotreDame Intermédica.

Além do contrato de autoprodução, a EDP e a Hapvida NotreDame Intermédica firmaram parceria para a migração das unidades do grupo de saúde para o mercado livre de energia e para o fornecimento de energia para essas unidades até a entrada em operação da unidade solar, a partir de 2024.

“No total, 64 unidades, incluídas na estrutura de autoprodução, fizeram parte da migração do mercado regulado da operadora”, reforçou Amoroso Lima.

A EDP está a construir também cinco instalações industriais para produção de energia solar de Geração Distribuída que irão abastecer 55% das unidades da Hapvida NotreDame Intermédica que operam em baixa tensão.

Segundo Carlos Andrade, vice-presidentes de Clientes da EDP no Brasil, a empresa portuguesa continua a desenvolver “novos modelos de negócio e de projetos de longo prazo, com oferta de soluções integradas direcionadas aos clientes, reforça o perfil inovador e sustentável e a estratégia de crescimento pautada na aceleração da transição energética e na descarbonização da economia.”

 



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.